EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

O setor do turismo nos Alpes face às alterações climáticas

Em parceria com The European Commission
O setor do turismo nos Alpes face às alterações climáticas
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Aurora Velezeuronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O objetivo do setor é promover a descoberta do património natural e cultural, e atrair novos turistas, fora da época de esqui, numa altura em que os Alpes enfrentam as consequências das alterações climáticas.

Nos Alpes, onze concelhos franceses e suíços apostam no turismo ao longo de todo o ano, e não apenas no inverno.

Percursos para andar a pé ou de bicicleta de montanha elétrica são algumas das atividades propostas pelo agrupamento de estâncias de esqui Portes du Soleil, a maior área de esqui transfronteiriça do mundo, entre a França e a Suíça.

Champéry, na Suiça, é uma das estâncias que propõe uma série de atividades entre a Primavera e o Outono. Uma nova abordagem do turismo nos Alpes, apoiada por um projeto europeu, que integra oito conselhos franceses e três suíços. O objetivo da iniciativa é promover a descoberta do património natural e cultural, para atrair novos turistas, numa altura em que os Alpes enfrentam as consequências das alterações climáticas.

O apoio da Política de Coesão Europeia

O orçamento total do projeto é de 1500 milhões de euros. Cerca de 600 mil euros (610.616) provêm da Política de Coesão Europeia. A soma restante foi financiada pela França e pela Suíça. 12 estâncias permitem o acesso a 25 telecadeiras no verão.

Percursos acessíveis através de uma aplicação

Para além dos trilhos para bicicletas de montanha, o projeto Portes du Soleil propõe 55 percursos transfronteiriços de trail que podem ser consultados numa aplicação para telemóvel. O acesso é gratuito. Há cada vez mais turistas e desportistas que visitam a região fora da época de esqui.

"Este ano, o ciclismo de montanha representou um milhão e setecentos mil percursos. Em relação aos percursos a pé, este verão tivemos mais de 800 mil pessoas que puderam percorrer toda a área graças às subidas mecânicas", disse à A euronews falou com coordenador do projecto portes de alpes, Benoit Cloirec.´

Alterações climáticas levam à busca de alternativas

O desenvolvimento do turismo sustentável ao longo de todo o ano é visto como uma mais-valia para as empresas do setor do turismo. "Temos pela frente anos incertos. Houve uma enorme queda no número de visitantes devido à Covid-19. Agora enfrentamos problemas energéticos. Por isso, penso que é importante alargar a oferta a todas as estações do ano" considerou Jérérmie Ollivier, dono do restaurante La croix du Culet, na Suiça.

Segundo os profissionais da montanha, os verões estão a ficar cada vez mais longos. Em Champéry a temperatura chegou aos 29 graus este Verão.

“Não estou habituado a andar de bicicleta elétrica. É um desporto bastante suave. Podemos praticá-lo com um guia. É uma atividade fácil e permite-nos ver as montanhas de uma forma diferente em relação à experiência que temos quando estamos a esquiar. Complementa as atividades de inverno, é interessante, contou à euronews Florian Legrand, um turista que decidiu explorar a estância fora da época de esqui.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

Radiotelescópio europeu LOFAR aprofunda segredos do universo

A revitalização da economia de Brno