EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Escândalo de corrupção no PE: eurodeputados falam em nuvem negra

Escândalo pode agravar crise de confiança
Escândalo pode agravar crise de confiança Direitos de autor Olivier Matthys/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Olivier Matthys/Copyright 2022 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Caso de suspeitas de corrupção com ligações ao Catar colocou em causa credibilidade das instituições europeias

PUBLICIDADE

Uma nuvem negra que paira sobre a política e as instituições europeias. É desta forma que vários eurodeputados descrevem o escândalo que envolve a detenção da eurodeputada socialista grega Eva Kaili, por suspeitas de corrupção com ligações ao Catar.

Para o dinamarquês Niels Fuglsang, do grupo da Aliança Progressista dos Socialistas e Democratas no Parlamento Europeu (o mesmo de Kaili), criou-se uma crise confiança.

"É extremamente prejudicial para a União Europeia se membros do Parlamento Europeu ou outros políticos forem comprados para dizer certas coisas ou votar de certa maneira. É uma vergonha e torna a Europa mais fraca. Então é do interesse de todos que cheguemos ao fundo da questão e adotemos regras para garantir que tais coisas não voltem a acontecer de novo. O que aconteceu é muito errado e há um grande trabalho de reparação a fazer", sublinhou Fuglsang em entrevista à Euronews.

As regras são importantes, mas Tamás Lattmann, especialista em lei europeia e internacional, diz que deve ser o bloco comunitário no conjunto a desenvolver legislação anticorrupção muito mais robusta: "acredito que seria muito importante que a União Europeia pensasse seriamente estas questões e se preparasse para situações como esta no futuro, propondo algum tipo de legislação própria para lidar com este tipo de coisas e para tornar a cooperação com as autoridades dos Estados-membros muito mais integrada e, até certo ponto, mais garantida, ou seja, não dependendo, caso a caso, da retirada ou não de imunidade parlamentar."

O caso de corrupção ainda promete fazer correr muita tinta.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Escândalo de corrupção levará à revisão de regras para eurodeputados?

Borrell acusa Orbán de deslealdade e associa-se ao boicote contra a presidência húngara da UE

Boicote à Hungria: cimeira informal em Budapeste teve menos de metade dos ministros