OCDE alerta que conter inflação poderá exigir medidas fiscais mais precisas

Despesas com alimentação, energia e habitação crescem em percentagens três a quatro vezes mais do que os salários
Despesas com alimentação, energia e habitação crescem em percentagens três a quatro vezes mais do que os salários Direitos de autor Frank Augstein/AP/File
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os aumentos dos preços da habitação e dos serviços públicos, dos transportes e dos produtos alimentares foram três a quatro vezes superiores aos aumentos salariais, em 2022. Comissário Europeu para o Emprego admite que sejam necessárias medidas adicionais contra práticas irregulares.

PUBLICIDADE

Os trabalhadores são vítimas de um "duplo golpe": a inflação faz baixar os seus salários reais e os impostos sobre o trabalho aumentam. Este alerta foi dado, terça-feira, por um relatório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), que constatou a perda de poder de compra em 35 dos seus 38 Estados membros, em 2022.

A Federação Europeia de Sindicatos (ETUC) afirma que o Banco Central Europeu agrava a situação ao aumentar as taxas de juro.

"O aumento das taxas de juro é a solução errada. Atinge mais duramente os trabalhadores e as famílias. Muitas famílias têm empréstimos para coisas tais como um carro, e agora até vemos que as famílias têm de pagar contas de eletricidade através dos cartões de crédito. Quando aumentamos as taxas de juro tornamos uma situação já difícil em algo absolutamente impossível de gerir", disse Esther Lynch, secretária-geral adjunta do ETUC, à euronews.

Os aumentos dos preços da habitação e dos serviços públicos, dos transportes e dos produtos alimentares foram três a quatro vezes superiores aos aumentos salariais. A inflação total na UE foi de 9,2%, enquanto o aumento médio dos salários foi de apenas 4,4%, quando comparados os mais recentes dados da agência de estatísticas da União Europeia (Eurostat).

Manter apoios e combater práticas ilegais

O comissário europeu para o Emprego e Direitos Sociais, Nicolas Schmit, disse à euronews que não é necessário um novo instrumento financeiro anti-crise. Schmit defende, antes, a manutenção de um apoio direcionado para os mais vulneráveis e o combate às práticas desleais de alguns setores.

"Em alguns setores há falta de concorrência, vemos lucros extraordinários com o argumento de que há inflação e por isso aumentam os preços. Esta situação está também a provocar, em alguns setores, o aumento dos preços e é preciso combatê-la. Isso pode ser feito também através de mais concorrência em diferentes mercados", disse o comissário.

Em setembro passado, foi aprovado um imposto temporário sobre os lucros excecionais das empresas de combustíveis fósseis. A ETUC diz que a União Europeia deveria alargar essa medida a outros setores económicos.

"Devem ser aumentados os impostos sobre os lucros inesperados, porque muitas empresas, durante o ano passado, 2022, aumentaram os lucros para o dobro sem qualquer aumento nos seus impostos", afirmou Esther Lynch.

No seu relatório, a OCDE advertiu que os mais afetados pelo "duplo golpe" são as famílias com filhos, particularmente nos níveis de rendimento mais baixos e que os sistemas de benefícios fiscais não estão a ser ajustados à inflação.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zona Euro entra em recessão técnica

Previsões económicas da OCDE ligeiramente mais otimistas

UE e Reino Unido chegam a acordo sobre "grandes linhas políticas" relativamente a Gibraltar