EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Revisão do estatuto de conservação do lobo divide Parlamento Europeu

Parlamento Europeu, Estrasburgo
Parlamento Europeu, Estrasburgo Direitos de autor Mathieu CUGNOT/ European Union 2023 - Source : EP
Direitos de autor Mathieu CUGNOT/ European Union 2023 - Source : EP
De  Mared Gwyn JonesIsabel Marques da Silva (Trad.)
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Os planos da Comissão Europeia para rever o estatuto de conservação do lobo na Europa dividiram o Parlamento Europeu, num debate, quarta-feira, em Estrasburgo.

PUBLICIDADE

Num debate convocado pelo Partido Popular Europeu (centro-direita), na quarta-feira, os eurodeputados desta bancada afirmaram que a revisão do estatuto é necessária para proteger a subsistência dos agricultores das regiões montanhosas, cujo gado está a ser dizimado pelas matilhas de lobos.

"Atualmente, existem cerca de 20 mil lobos na União Europeia (UE) e a população está a aumentar", afirmou Herbert Dorfmann, eurodeputado italiano que é porta-voz do partido para a área da agricultura.

"Os ataques de lobos a ovelhas e outro gado tornaram-se uma ocorrência quase diária. Temos de reconhecer o conflito entre os lobos e os agricultores locais", acrescentou.

"Estamos sempre a falar de coexistência. Mas se dois grupos coexistem num território onde um é intocável e o outro é forçado a sofrer, então não é coexistência, é subordinação", afirmou Alessandro Panza, eurodpeutado italiano do Grupo Identidade e Democracia (extrema-direita).

A proposta, muito pessoal, de von der Leyen

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, foi acusada por outros eurodeputados de estar a chamar a atenção para esta questão para obter vantagens pessoais e sem uma base científica.

Em setembro do ano passado, von der Leyen foi pessoalmente afetada pelo aumento das populações de lobos, quando o seu pónei foi morto por um lobo, no nordeste da Alemanha.

"Esta é uma tentativa de abuso de poder por parte da presidente von der Leyen", afirmou Anja Hazekamp, do Grupo da Esquerda.

Thomas Waitz, dos Verdes, acrescentou: "Este é um falso debate e estamos a espalhar o pânico. Os lobos não comem avós ou crianças e devemos encontrar uma solução adequada para o problema".

Von der Leyen anunciou que o seu executivo iria lançar uma revisão do estatuto de proteção da espécie, descrevendo o lobo como uma "ameaça real" para o gado e para a segurança humana.

Von der Leyen instou, também, as autoridades locais e nacionais a tirarem partido das derrogações à legislação da UE para permitir que os agricultores tomem medidas específicas para proteger as suas culturas e meios de subsistência, como a utilização de armadilhas de "captura suave" para os lobos.

O ressurgimento das matilhas de lobos na Europa provocou tensões entre as comunidades agrícolas e tornou-se o mais recente problema a colocar em confronto ambientalistas e agricultores.

Num sinal do seu crescente capital político, os agricultores tiveram um lugar de destaque no discurso de uma hora de duração de Ursula von der Leyen sobre o Estado da União, quando apelou a "mais diálogo e menos polarização".

Lobos são importantes para a biodiversidade

Organizações não-governamentais (ONG) tais como o Fundo Mundial para a Natureza e o Gabinete Europeu do Ambiente (EEB) manifestaram a sua preocupação com a "informação enganosa" da Comissão Europeia sobre o perigo do lobo, assegurando que o seu regresso à Europa é uma vitória para a biodiversidade.

"As provas científicas demonstraram que os lobos não tratam os seres humanos como presas e que os encontros fatais são excecionais", afirmam as ONG numa carta aberta a von der Leyen. 

"Os danos causados ao gado estão frequentemente relacionados com a falta de supervisão adequada e/ou de proteção física", acrescentaram.

Em novembro do ano passado, uma resolução do Parlamento Europeu solicitou à Comissão que apoiasse o sector agrícola, garantindo mais flexibilidade na proteção dos seus animais contra ataques.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE vai rever o estatuto de proteção dos lobos

Lobos infernizam vida dos criadores de gado

Lobos, ursos e linces protegidos na Eslovénia e Croácia com apoio da UE