EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Milhares de pessoas na Geórgia assinalam o Dia da Europa com uma marcha contra a "lei russa"

Um manifestante segura uma bandeira da UE durante uma manifestação de protesto contra "a lei russa" em Tbilisi, 11 de maio de 2024
Um manifestante segura uma bandeira da UE durante uma manifestação de protesto contra "a lei russa" em Tbilisi, 11 de maio de 2024 Direitos de autor Zurab Tsertsvadze/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Zurab Tsertsvadze/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Os apoiantes do controverso projeto de lei afirmam que é necessário manter a soberania nacional e impedir que atores estrangeiros desestabilizem o país.

PUBLICIDADE

Cerca de 50.000 pessoas marcharam pelas ruas de Tbilisi, capital da Geórgia, para denunciar uma proposta de lei sobre a transparência da influência estrangeira.

A proposta foi apelidada pelos críticos de "lei russa" porque se assemelha a legislação semelhante aprovada por Moscovo, que muitos veem como uma forma de silenciar os meios de comunicação social e as organizações críticas do Kremlin.

A lei, proposta pelo partido no poder, o Sonho Georgiano, exige que os meios de comunicação social e as organizações não comerciais se registem como estando a defender os interesses de uma potência estrangeira se mais de 20% do seu orçamento for proveniente do estrangeiro.

Os críticos do projeto de lei, que já foi aprovado em duas das três leituras parlamentares, afirmam que este pode fazer descarrilar as hipóteses de adesão do país à União Europeia. A Geórgia é um país candidato desde o final do ano passado.

A marcha de sábado coincidiu com o Dia da Europa e o apoio à adesão ao bloco entre a população de pouco menos de quatro milhões de habitantes da Geórgia é elevado. Uma sondagem realizada em 2022 pelo Instituto Nacional Democrático revela que o entusiasmo pela adesão à UE atinge os 81%.

White House national security adviser Jake Sullivan posts about Tbilisi protests

"Estamos profundamente alarmados com o retrocesso democrático na Geórgia", afirmou o conselheiro de segurança nacional da Casa Branca, Jake Sullivan, numa publicação no X.

"O povo georgiano está a dar a conhecer a sua opinião. Sem se deixarem intimidar pelas táticas de intimidação, dezenas de milhares de manifestantes pacíficos compareceram hoje na chuvosa Tbilisi para exigir que o governo do partido Sonho Georgiano retire a legislação".

Os apoiantes do projeto de lei dizem que é necessário manter a soberania nacional e impedir que atores estrangeiros desestabilizem o país.

O projeto de lei é quase idêntico à legislação que a Sonho Georgiano apresentou em 2023 e que foi eliminada face aos protestos públicos em massa contra a mesma.

O Parlamento deverá debater o projeto de lei em leitura final na segunda-feira.

A Presidente Salomé Zourabichvili prometeu vetar o projeto de lei se este for aprovado, mas o Parlamento pode anular esse veto reunindo 76 votos, após o que o presidente do Parlamento assinará o projeto de lei.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Von der Leyen condena violência após parlamento da Geórgia aprovar "lei da transparência"

Milhares protestam na Geórgia contra "lei russa". Borrell condena violência contra manifestantes

Milhares manifestam-se na Geórgia em apoio a polémica lei de transparência de influência estrangeira