EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Um muro ao estilo de Trump mas "Made in Europe": direita francesa lança campanha para as europeias

François-Xavier Bellamy, candidato do Partido Republicano (LR) às eleições europeias
François-Xavier Bellamy, candidato do Partido Republicano (LR) às eleições europeias Direitos de autor Stephane de Sakutin/Copyright 2019 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Stephane de Sakutin/Copyright 2019 The AP. All rights reserved
De  Sophia Khatsenkova
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Um muro ao estilo de Trump à volta da UE, mais energia nuclear e a reindustrialização da Europa: estes são alguns dos pontos-chave que o candidato da direita francesa às eleições europeias, François-Xavier Bellamy, espera que impulsionem a sua campanha. Será que os eleitores vão apreciar?

PUBLICIDADE

Em desvantagem nas sondagens para as próximas eleições europeias, o candidato da direita francesa, François-Xavier Bellamy, está desesperado para impulsionar a sua campanha.

Ao anunciar o programa do Partido Republicano Francês (Les Républicains), na terça-feira, em Paris, o eurodeputado decidiu centrar a sua campanha em dois temas: a imigração e a soberania europeia.

Imigração: construir um muro europeu?

O candidato diz ser favorável à construção de muros físicos nas fronteiras da UE - uma ideia que faz lembrar a promessa do antigo presidente dos EUA, Donald Trump, em 2016.

A direita também considera a possibilidade de manter uma "cláusula de salvaguarda", na qual cada país poderia restabelecer o controlo das suas próprias fronteiras em caso de emergência.

No que diz respeito à soberania europeia, o programa é vasto. Segundo Bellamy, para voltar a ser forte, "a União Europeia tem de mudar profundamente o seu rumo".

"Todo o nosso continente está a atravessar uma crise profunda. E a questão é dupla: o declínio da Europa no mundo e o declínio da França na Europa."

A soberania significa menos regulamentação e regras e, em vez disso, investir mais em tecnologia e reindustrializar o continente.

Para o candidato de direita, soberania também significa investir mais numa defesa europeia comum.

"Proponho que todos os Estados europeus aumentem a sua contribuição para o esforço de defesa coletiva para 3% do seu PIB", na NATO, um grupo de 32 países da Europa e da América do Norte que existe para proteger as pessoas e o território dos seus membros".

"Não há segundo mandato para Ursula Von Der Leyen"

Para atingir estes objetivos, Bellamy deixa claro: o seu partido não votará na atual presidente da Comissão Europeia, Ursula Von Der Leyen, que faz parte do seu Partido Popular Europeu (PPE) em Bruxelas.

O candidato de direita garante também que é o líder do único partido de direita em França que pode fazer ouvir a voz do seu país em Bruxelas.

"Seremos os representantes dos franceses no principal partido político europeu, o Partido Popular Europeu, ao qual pertencemos. Somos a única lista que pode permitir à França tomar a decisão de amanhã no debate europeu".

Quando questionado sobre como é que o seu partido poderá influenciar o PPE se Von Der Leyen for reeleita, François-Xavier Bellamy insistiu que outros eurodeputados do partido irão votar contra ela.

"Não queremos dar a Ursula von der Leyen um segundo mandato. O mínimo que podemos dizer é que esta posição está longe de ser marginal e é partilhada por uma grande parte dos grupos políticos que compõem o PPE".

Mas com apenas 8% das intenções de voto, o partido de direita tradicional encontra-se entre o partido da Renascença do presidente francês Emmanuel Macron, que se inclina para o centro-direita, e o partido de extrema-direita Rassemblement National, que lidera atualmente as sondagens com 32%.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Eleições europeias: O que é que os eleitores querem e o que é que os candidatos prometem?

Galinhas malvadas e cães de duas caudas: os 6 partidos mais estranhos que vão a votos nas eleições europeias

Prognóstico positivo para o PM eslovaco. Atacante ouvido pelo juiz