EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Zelenskyy diz que Putin receia que a cimeira de junho seja "capaz de forçar a Rússia à paz"

Volodymyr Zelenskyy inspecciona os danos na maior tipografia da Ucrânia após um ataque de mísseis russos que matou sete civis em Kharkiv, 24 de maio de 2024
Volodymyr Zelenskyy inspecciona os danos na maior tipografia da Ucrânia após um ataque de mísseis russos que matou sete civis em Kharkiv, 24 de maio de 2024 Direitos de autor AP/Ukrainian Presidential Press Office
Direitos de autor AP/Ukrainian Presidential Press Office
De  Euronews com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

50 Estados confirmaram a sua participação no evento que terá lugar numa estância situada acima do Lago Lucerna, no centro da Suíça, de 15 a 16 de junho. Os presidentes do Conselho da Europa, do Conselho Europeu e da Comissão Europeia também estarão presentes.

PUBLICIDADE

O Presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, afirmou que o seu homólogo russo, Vladimir Putin, tem medo do que a cimeira internacional sobre a paz, a realizar em junho, pode alcançar.

Zelenskyy afirmou que a cimeira "não permitirá que Putin continue a mentir", dizendo que ninguém no mundo quer a guerra, exceto o agressor.

"O mundo é capaz de forçar a Rússia à paz e ao cumprimento das normas de segurança internacionais. A Rússia não tem nada a opor à maioria mundial", afirmou.

Zelenskyy criticou os líderes dos Estados da Ásia Central por não terem concordado em participar na reunião.

A Cimeira da Paz é um formato que não permitirá que Putin continue a mentir. E sem as suas mentiras, ele não é absolutamente nada.
Volodymyr Zelenskyy
President of Ukraine

"Digam-me do que têm medo os que não participam? Têm medo de perder alguma coisa. Têm medo de perder até a sua relação com o Kremlin atual. Isso não ajuda a acabar com a guerra", disse.

Até ao momento, 50 Estados confirmaram a sua participação no evento, que terá lugar numa estância situada acima do Lago Lucerna, no centro da Suíça, de 15 a 16 de junho. Os presidentes do Conselho da Europa, do Conselho Europeu e da Comissão Europeia também estarão presentes.

Zelenskyy estava a falar na região nordeste de Kharkiv, onde as forças russas fizeram recentemente uma nova investida.

No âmbito dessa nova ofensiva, os mísseis atingiram a segunda maior cidade da Ucrânia na quinta-feira, matando pelo menos sete civis e ferindo outros 21.

O ataque atingiu a maior gráfica do país quando cerca de 50 empregados se encontravam nas instalações.

Livros queimados na maior tipografia da Ucrânia após um ataque de mísseis russos em Kharkiv, 24 de maio de 2024
Livros queimados na maior tipografia da Ucrânia após um ataque de mísseis russos em Kharkiv, 24 de maio de 2024AP/Ukrainian Presidential Press Office

"Esta é a maior empresa do seu género na Ucrânia. É por isso que os manuais escolares, a literatura, etc., se tornam um problema nacional. Não conseguiremos publicá-los a tempo este ano se não recuperarmos rapidamente", disse Serhiy Polituchy, proprietário da gráfica Faktor-Druk.

Zelenskyy visitou as instalações na sexta-feira para avaliar os danos e expressou as suas condolências aos mortos no ataque.

"O terror russo prova constantemente que o seu objetivo é a destruição total da Ucrânia e de toda a vida na nossa terra, tudo o que permite às pessoas serem humanas. Faremos tudo para proteger o nosso Estado e responsabilizar o mal russo pelo que fez", afirmou.

A ofensiva russa em Kharkiv parece ser uma nova ofensiva coordenada que inclui testes às defesas ucranianas na região de Donetsk, mais a sul, e o lançamento de incursões nas regiões de Sumy e Chernihiv, a norte.

Volodymyr Zelenskyy posts on X about the June peace summit in Switzerland

Os problemas da Ucrânia têm vindo a aumentar nos últimos meses, à medida que tenta resistir ao seu inimigo muito maior, e a guerra parece estar a chegar a um ponto crítico.

A nova ofensiva russa está a esgotar as fileiras da Ucrânia, exauridas por mais de dois anos de guerra.

Mas o Estado-Maior Geral deu uma nota otimista sobre a situação em Kharkiv numa conferência de imprensa na sexta-feira.

"Hoje, a situação é estável e está sob controlo. O inimigo foi travado e as forças de defesa estão a planear e a conduzir operações de assalto ofensivas para recuperar as posições perdidas", disse Ihor Prokhorenko, do Departamento Operacional Principal do Estado-Maior das Forças Armadas da Ucrânia.

As autoridades evacuaram mais de 11.000 pessoas da região de Kharkiv desde que a Rússia lançou uma nova ofensiva na região em 10 de maio.

PUBLICIDADE

Na sexta-feira, as autoridades anunciaram a evacuação obrigatória, nos próximos 60 dias, de 123 órfãos e crianças que vivem sem os pais na região.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ataque aéreo a Kharkiv faz pelo menos sete mortos. Zelenskyy condena brutalidade russa

Rússia captura aldeia na região de Donetsk

Itália: confrontos na Câmara dos Deputados durante votação polémica