EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Veterano da Segunda Guerra Mundial casa-se aos 100 anos numa praia da Normandia

Veterano da II Guerra Mundial casa aos 100 anos. AP Photo/Jeremias Gonzalez
Veterano da II Guerra Mundial casa aos 100 anos. AP Photo/Jeremias Gonzalez Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Manuel Ribeiro AP
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Um veterano da Segunda Guerra Mundial casou-se perto das praias do Dia D da Normandia. Ele tem 100 anos e a noiva 96.

PUBLICIDADE

A idade conjunta destes noivos é quase 200 anos. O veterano da Segunda Guerra Mundial Harold Terens e a sua noiva Jeanne Swerlin. de 100 e 96 anos respetivamente, provaram que o amor é eterno ao darem o nó este sábado, numa das praias do Dia D na Normandia, França.

O local da cerimónia foi na elegante Câmara Municipal de Carentan, um dos principais objetivos a conquistar no Dia D, há 80 anos e palco de combates ferozes após o desembarque dos Aliados a 6 de junho de 1944, que ajudou a libertar a Europa da tirania de Adolf Hitler.

O melhor dia da minha vida
Harold Terens

Tal como outras cidades e aldeias da costa da Normandia, onde cerca de 160.000 soldados aliados desembarcaram sob fogo em cinco praias com nomes de código, o local é hoje em dia um centro efervescente de recordações e celebrações no 80.º aniversário dos feitos e sacrifícios de jovens, homens e mulheres que, enfeitados com bandeiras, festejaram como se de estrelas de rock se tratassem.

Sobre a cerimónia que uniu estes dois centenários, foi ao som do swing de Glenn Miller e outras melodias da época que muitos dos simpatizantes - alguns trajados com roupas da época da Segunda Guerra Mundial - se alinharam na rua protegida por barreiras que delimitavam o acesso à Câmara Municipal. Uma banda de gaitas e tambores tocaram uma serenata ao casal feliz.

Após ambos terem declarado o esperado “oui” e os votos de casamento, lidos em inglês pelo presidente da câmara de Carentan, o casal trocou as alianças.

“Com este anel, eu desposo-te”, disse Terens. A noiva riu-se e disse: “A sério?”

O veterano americano da Segunda Guerra Mundial Harold Terens, 100 anos, à esquerda, e Jeanne Swerlin, 96 anos, celebram o seu casamento
O veterano americano da Segunda Guerra Mundial Harold Terens, 100 anos, à esquerda, e Jeanne Swerlin, 96 anos, celebram o seu casamentoAP Photo

Com as flutes de champanhe na mão, acenaram por uma janela aberta para a multidão que os aguardava no exterior.

"À boa saúde de toda a gente. E à paz no mundo e à preservação da democracia em todo o mundo e ao fim da guerra na Ucrânia e em Gaza", disse Terens, enquanto ele e a noiva brindavam.

A multidão gritou “la mariée!” - à noiva! - para Swerlin, que usava um vestido longo e esvoaçante de cor-de-rosa vibrante. Terens estava elegante com um fato azul-claro e um lenço cor-de-rosa a condizer no bolso do peito.

O novo casal desfrutou de uma festa muito especial na noite de núpcias: foram convidados para o jantar de Estado no Palácio do Eliseu, no sábado à noite, com o presidente Emmanuel Macron e o presidente dos EUA, Joe Biden.

“Parabéns aos recém-casados”, disse Macron, provocando vivas e uma ovação de pé dos outros convidados durante o brinde que enalteceu a amizade franco-americana. “A cidade de Carentan teve o prazer de acolher o vosso casamento e nós o vosso jantar de casamento”, disse Macron ao casal.

Casamento foi apenas simbólico

O gabinete do presidente da Câmara, Jean-Pierre Lhonneur, disse que não tinha poderes para casar estrangeiros que não residissem em Carentan e que o casal, ambos americanos, não tinha pedido votos juridicamente vinculativos. No entanto, poderiam sempre cumprir essas formalidades na Flórida, se assim o desejassem.

Lhonneur gosta de dizer que a Normandia é praticamente o 51.º estado dos EUA, dada a sua reverência e gratidão pelos soldados aliados e os sacrifícios de dezenas de milhares de pessoas que nunca chegaram a regressar a casa depois da Batalha da Normandia.

“O amor é eterno, sim, talvez”, disse o presidente da Câmara, referindo-se aos recém-casados, embora os seus comentários também descrevam corretamente os sentimentos de muitos normandos relativamente aos veteranos.

O veterano da Segunda Guerra Mundial visitou França pela primeira vez como cabo das Forças Aéreas do Exército dos EUA, com 20 anos, pouco depois do Dia D. Terens alistou-se em 1942 e, após embarcar para a Grã-Bretanha, foi destacado para uma unidade de caça P-47 Thunderbolt de quatro pilotos como técnico de reparação de rádios.

O veterano americano da Segunda Guerra Mundial Harold Terens, 100 anos, à esquerda, e Jeanne Swerlin, 96 anos, celebram o seu casamento
O veterano americano da Segunda Guerra Mundial Harold Terens, 100 anos, à esquerda, e Jeanne Swerlin, 96 anos, celebram o seu casamentoAP Photo

No Dia D, Terens ajudou a reparar os aviões que regressavam de França para poderem voltar à batalha. Segundo ele, metade dos pilotos da sua companhia morreram nesse dia. O próprio Terens foi para França 12 dias depois, ajudando a transportar para Inglaterra os alemães recém-capturados e os prisioneiros de guerra americanos recém-libertados. Após a rendição nazi, em maio de 1945, Terens voltou a ajudar a transportar prisioneiros aliados libertados para Inglaterra, antes de regressar aos EUA um mês depois.

Swerlin deixou bem claro que o seu novo marido centenário não tem falta de sex appeal.

“Ele é o melhor beijoqueiro de sempre, sabiam?” declarou orgulhosamente antes de se abraçarem com entusiasmo para as câmaras de televisão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden está em Paris para visita de Estado, após celebrar o Dia D na Normandia

Os fantasmas da guerra ensombram o aniversário do desembarque na Normandia

Normandia celebra o 'Dia D'