EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Nova Frente Popular "está pronta para governar", diz Mélenchon

Jean-Luc Mlenchon, fundador do partido de extrema-esquerda La France Insoumise - LFI - (França Insubmissa)
Jean-Luc Mlenchon, fundador do partido de extrema-esquerda La France Insoumise - LFI - (França Insubmissa) Direitos de autor Thomas Padilla/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Thomas Padilla/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Eleanor Butler
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Mélenchon discursou perante a nação após o que apelidou de vitória eleitoral "impossível".

PUBLICIDADE

As eleições legislativas antecipadas em França, cuja segunda volta se realizou este domingo, foram uma montanha-russa política.

Depois de uma vitória prevista para a extrema-direita francesa, os esquerdistas saíram vitoriosos no domingo à noite, batendo os rivais pela maior parte dos votos nas legislativas.

A coligação de esquerda Nova Frente Popular, liderada pelo incendiário Jean-Luc Mélenchon, deverá conquistar 172 a 192 lugares, de acordo com uma sondagem da Ipsos para a France TV.

Este número é superior aos 150 a 170 lugares previstos para o Ensemble, liderado pelo atual presidente Emmanuel Macron. O Rassemblement National de Marine Le Pen, de extrema-direita, deverá obter de 132 a 152 lugares.

Após a divulgação dos resultados, Mélenchon dirigiu-se a uma multidão emocionada em Paris.

"Com esta votação, a maioria fez uma escolha diferente para o país. A partir de agora, a vontade do povo deve ser estritamente respeitada", afirmou.

"A derrota do Presidente da República e da sua coligação está claramente confirmada. O presidente deve curvar-se perante esta derrota e admiti-la sem tentar evitá-la por qualquer meio".

O primeiro-ministro Gabriel Attal, continuou Mélenchon, nunca conseguiu reunir apoio na Assembleia Nacional. "O primeiro-ministro tem de sair", insistiu.

Perante a derrota do Ensemble, espera-se que o presidente Macron encontre um substituto para Attal, que só está no cargo desde janeiro.

Trata-se de uma convenção e não de uma necessidade, e Attal já anunciou que se demitirá amanhã.

"A Nova Frente Popular está pronta para governar", disse Mélenchon.

"O novo partido está pronto para governar", disse Mélenchon, que referiu que "já neste verão" podem ser emitidos decretos para revogar a reforma das pensões de Macron, aumentar o salário mínimo e apelar a mais negociações salariais, entre outros projetos.

Relativamente ao "Ensemble" de Macron, afirmou: "Recusamo-nos a entrar em negociações com o seu partido para fazer compromissos, especialmente depois de termos lutado contra os seus fracassos durante sete anos".

Editor de vídeo • Ines Trindade Pereira

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mélenchon diz que plano de despesas radical da Nova Frente Popular é compatível com regras da UE

Eleições Francesas: vitória da esquerda provoca queda do euro

Maior afluência às urnas desde 1981: segunda volta das eleições francesas são decisivas