EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido afirma que compromisso com a Ucrânia "é inabalável

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, David Lammy, fala numa conferência de imprensa em Chobielin, 7 de julho de 2024
O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, David Lammy, fala numa conferência de imprensa em Chobielin, 7 de julho de 2024 Direitos de autor Screenshot from EBU video 2024_10243897
Direitos de autor Screenshot from EBU video 2024_10243897
De  Euronews com EBU
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

No seu segundo dia no cargo, Lammy está a fazer uma visita relâmpago a países "parceiros-chave", como a Alemanha, a Polónia e a Suécia, onde o apoio continuado à Ucrânia foi um dos pontos principais da agenda.

PUBLICIDADE

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, David Lammy, afirmou que o compromisso do país com a Ucrânia é "inabalável".

Lammy falou em Chobielin, depois de se ter encontrado com o seu homólogo polaco, Radoslaw Sikorski, onde os dois ministros discutiram questões de segurança antes da cimeira da NATO, a realizar na próxima semana em Washington.

Os dois países estão preparados para prestar apoio a longo prazo à Ucrânia, tendo Lammy afirmado que o Reino Unido leva o seu compromisso para com a Ucrânia e a NATO "muito, muito a sério".

"O que penso que será conseguido nos próximos dias é demonstrar a Putin que estamos lá a longo prazo e que as finanças para apoiar a Ucrânia financeiramente, militarmente e em termos de ajuda à aliança são firmes e, muito importante, unidas. É isso que vai sair de Washington", disse aos jornalistas na Polónia.

Sikorski disse que os líderes da NATO vão apresentar uma frente unida na 75ª cimeira em Washington, afirmando que a Polónia está na linha da frente "em termos de ajuda à Ucrânia".

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, David Lammy, e o seu homólogo polaco, Radoslaw Sikorski, falam durante uma conferência de imprensa em Chobielin
O ministro dos Negócios Estrangeiros do Reino Unido, David Lammy, e o seu homólogo polaco, Radoslaw Sikorski, falam durante uma conferência de imprensa em ChobielinScreenshot from EBU video 2024_10243897

"Vamos confirmar que somos a aliança mais poderosa da história e que o destino da Ucrânia é do nosso interesse vital. E a melhor coisa que Putin poderia fazer é retirar-se do erro desastroso e criminoso que cometeu", afirmou.

A primeira viagem de Lammy como Ministro dos Negócios Estrangeiros foi organizada num prazo muito curto e tem como objetivo restabelecer os laços entre o Reino Unido e a UE.

A sua primeira paragem foi na Alemanha, onde discutiu a NATO, a Ucrânia e as alterações climáticas com a sua homóloga alemã Annalena Baerbock.

O Reino Unido é uma parte indispensável da Europa" e a Alemanha está ansiosa por colaborar com o novo governo britânico "para ver como o Reino Unido se pode aproximar da UE".

Da Alemanha passou para a Polónia e depois para o mais recente membro da NATO, a Suécia. A Ucrânia esteve no topo da agenda em todos estes países.

Em conjunto, os quatro países apoiam firmemente a Ucrânia e o novo governo de Keir Starmer faz questão de sublinhar que o apoio do Reino Unido ao país devastado pela guerra é sólido.

Lammy referiu-se à Alemanha, à Polónia e à Suécia como "parceiros fundamentais", numa altura em que procura estreitar os laços com a Europa, que têm estado tensos desde a saída do Reino Unido da União Europeia.

"Vamos deixar os anos do Brexit para trás", disse Lammy ao jornal The Observer.

"Não vamos voltar a aderir ao mercado único e à união aduaneira, mas há muito que podemos fazer juntos."

O novo secretário da Defesa do Reino Unido, John Healey, está em Odessa e, após conversações com o presidente ucraniano Volodymyr Zelenskyy e o seu ministro dos Negócios Estrangeiros, Rustem Umerov, Healey prometeu mais armas de artilharia, munições e mísseis para a Ucrânia.

PUBLICIDADE

Reiniciar o país

Entretanto, o regresso a casa também esteve na agenda de Keir Starmer, que está a fazer a sua própria viagem de reconhecimento pelas nações constituintes do Reino Unido.

No domingo, na Escócia, Starmer anunciou que iria tentar melhorar o acordo comercial entre o Reino Unido e a União Europeia, que classificou de "falhado".

"Penso que podemos conseguir um acordo muito melhor do que o acordo falhado que Boris Johnson impôs ao Reino Unido", afirmou, referindo-se ao pacto negociado após o Brexit.

Nas conversações com o primeiro-ministro escocês, John Swinney, Starmer disse que o seu objetivo era "transformar o desacordo em cooperação".

PUBLICIDADE
O primeiro-ministro britânico Keir Starmer e a sua mulher Victoria posam para a comunicação social à porta do número 10 de Downing Street, em Londres, a 5 de julho de 2024
O primeiro-ministro britânico Keir Starmer e a sua mulher Victoria posam para a comunicação social à porta do número 10 de Downing Street, em Londres, a 5 de julho de 2024Kin Cheung/Copyright 2024 The AP. All rights reserved

"Vamos servir todas as pessoas na Escócia", disse Starmer. "Desempenho, interesse próprio: são as políticas do passado. A política deste governo trabalhista de 2024 tem a ver com o serviço público, com o restabelecimento dos padrões e com a garantia de que teremos sempre em mente as pessoas que nos elegeram para o governo".

Embora cada uma das nações descentralizadas do Reino Unido eleja membros para a Câmara dos Comuns em Londres, também têm os seus próprios parlamentos regionais.

O Partido Trabalhista de Starmer derrotou o Partido Nacional Escocês de Swinney por lugares no Parlamento. Mas o SNP, que tem defendido a independência da Escócia, continua a deter a maioria em Holyrood, o parlamento escocês.

Swinney disse, depois de se ter encontrado com o primeiro-ministro, que acredita que existe uma oportunidade de trabalhar em conjunto para fazer a diferença para o povo escocês.

PUBLICIDADE

"Continuámos a nossa conversa sobre áreas de interesse comum. Acredito que existe uma oportunidade de trabalho em colaboração que pode fazer a diferença na vida das pessoas e espero trabalhar com o novo Governo de Sir Keir para realizar progressos em benefício da população escocesa", afirmou Swinney.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Começa a construção da primeira escola subterrânea na cidade de Zaporizhzhia

Nas profundezas das ruas de Paris existe um mundo escondido de vinhos

Quanto é que os eurodeputados recebem?