Eleições Estónia: i-voting conquista eleitores com votações digitais

ARQUIVO: eleitores tiram fotografias depois de votar numa secção na Universidade de Talin, 5 de março de 2023
ARQUIVO: eleitores tiram fotografias depois de votar numa secção na Universidade de Talin, 5 de março de 2023 Direitos de autor AFP
De  David Mac Dougall
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Estado Báltico introduziu o i-voting em 2005 e tem vindo a conquistar adeptos

PUBLICIDADE

Pela primeira vez desde que se introduziu o voto eletrónico na Estónia contaram-se mais votos digitais do que em papel nas eleições gerais deste mês.

O estado Báltico introduziu o i-voting em 2005, integrado nos esforços para impulsionar o governo eletrónico e os serviços digitais a todos os níveis da sociedade, o que significa que os residentes podem abrir uma conta bancária, assinar documentos, declarar impostos ou obter uma receita - entre outras coisas - através da Internet.

O único serviço limitado é o pedido de divórcio, mas os elevados níveis de participação nas eleições refletem a confiança do público na integridade da votação através da Internet.

"Todas as nossas eleições, locais, legislativas nacionais e europeias, têm componentes de votação eletrónica e, agora, quando os votos digitais ultrapassaram os votos tradicionais isso revela muito sobre a nossa confiança", disse Erika Piirmets, consultora de transformação digital da e-Estonia.

"Temos partidos políticos que são contra o i-voting e temos uma discussão a acontecer neste momento na Estónia sobre isso. Temos de estar cientes das preocupações, de compartilhar mais informações e de ser ainda mais transparentes para mostrar o quão seguro é o sistema”, acrescentou ao Euronews Next.

Outros países tentaram introduzir as próprias versões de votação através Internet, como foi o caso do Canadá e da Suíça, mas com sucesso limitado. Piirmets considera que a Estónia tem sido um sucesso notável por causa dos fortes sistemas de identidade eletrónica que todos usam, que é um dos blocos de construção do i-voting.

Como se vota pela Internet na Estónia?

A votação pela Internet na Estónia pode ser feita a partir de um computador, com os eleitores qualificados a usar um documento de identificação e um leitor de cartão, bem como códigos PIN para segurança.

Quando os eleitores tiverem votado antes da eleição podem mudar de ideia votando pessoalmente no dia do escrutínio com uma cédula de papel física que cancela o i-vote anterior.

Os eleitores precisam primeiro de descarregar uma aplicação de votação e, em seguida, colocar o cartão de identificação no leitor e verificar a elegibilidade para votar bem como o distrito.

Ao entrarem na aplicação, verão uma lista de candidatos e selecionarão o preferido. Têm de inserir um código PIN para verificar o voto com a sua assinatura digital e o processo está completo.

Por que é que o i-voting é tão popular na Estónia?

Um dos motivos pelos quais o i-voting é, talvez, tão popular e bem-sucedido na Estónia é porque introduziu sistemas digitais numa época em que se pensava menos na segurança e integridade dos sistemas. Assim, ao longo dos anos, sem um único caso comprovado de fraude no i-voting, os eleitores da Estónia acostumaram-se muito com isso.

"Lançámos os serviços tão cedo que as pessoas possivelmente não estavam cientes dos diferentes problemas de segurança que viriam com ele", explicou Piirmets.

"Agora, se estivéssemos na mesma situação e a tentar disponibilizar o i-voting, penso que haveria mais resistência porque as pessoas estariam mais conscientes de que estes sistemas podem ser vulneráveis a ataques", acrescentou.

Uma divisão digital natural

Com outra eleição concluída, haverá algum padrão a surgir sobre quem usa o i-voting e quem não usa? Existe uma divisão digital na Estónia em matéria de idade ou idioma nativo?

A E-Estonia diz que ainda há definitivamente uma divisão entre o i-voting e o serviço digital em geral, mas não há um padrão claro de que as pessoas mais velhas, por exemplo, evitem a tecnologia.

“As pessoas têm as suas preferências pessoais, sabem como querem consumir o serviço digital, e não podemos traçar apenas um perfil de quem é eleitor”, disse Piirmets.

As autoridades da Estónia ainda não divulgaram informações sobre possíveis tentativas de ataques ao sistema de votação eletrónica durante o ciclo eleitoral de 2023.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden diz estar a “considerar” o pedido da Austrália para desistir das acusações contra Assange

Elon Musk investigado no Brasil por desinformação

Justiça britânica adia extradição de Julian Assange e pede garantias aos EUA