CERN quer novo acelerador de partículas até 2040

O novo acelerador será essencial para compreender o que constitui a matéria escura
O novo acelerador será essencial para compreender o que constitui a matéria escura Direitos de autor Martial Trezzini/AP
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O novo acelerador terá uma circunferência de 91 quilómetros e um custo inicial estimado de 16 mil milhões de euros.

PUBLICIDADE

Foram apresentadas as primeiras imagens do futuro acelerador de partículas que o Conselho Europeu de Pesquisa Nuclear, o CERN, com sede em Genebra, na Suíça, quer desenvolver para substituir o atual mecanismo, que deverá chegar ao fim da vida, pelo menos nos atuais moldes, em 2040.

 O novo acelerador de partículas, para o qual os cientistas do CERN esperam obter a luz verde dos vários Estados-membros, será essencial para compreender o que constitui a matéria escura, ou seja, a maior parte do nosso universo. O novo acelerador circular terá uma circunferência de 91 quilómetros. Quanto ao custo, a estimativa atual é de cerca de 16 mil milhões de euros, mas só em 2025 é que haverá um orçamento mais preciso, segundo a diretora-geral do CERN, Fabiola Gianotti.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Porque é que o "padrinho da IA" Geoffrey Hinton está preocupado?

CERN volta a desafiar os limites

Nova era de descobertas científicas no CERN