EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Países europeus entre os destinos mais sustentáveis

A Suécia está no topo da lista dos destinos mais sustentáveis
A Suécia está no topo da lista dos destinos mais sustentáveis Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Ally Wybrew
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Um novo estudo revelou quais os destinos mais sustentáveis e para onde se dirigem os viajantes preocupados com o ambiente.

PUBLICIDADE

A Europa domina o Índice de Viagens Sustentáveis 2023 da Euromonitor International, com 19 dos primeiros 20 lugares a serem ocupados por países da União Europeia e do Espaço Schengen.

O índice sublinha igualmente que uma elevada percentagem de viajantes está disposta a pagar significativamente mais pelas suas férias se estas incluírem elementos sustentáveis.

Quais os destinos que estão a tentar reduzir o seu impacto ambiental e quanto pagarão os turistas para reduzir a sua pegada de carbono?

Quais os destinos europeus mais sustentáveis para os viajantes?

De acordo com o relatório, a cidade mais sustentável do mundo é Melbourne, na Austrália.

A segunda maior cidade do país manteve a posição de liderança, em parte graças a um objetivo ambicioso de atingir emissões líquidas nulas até 2040. O objetivo levou a uma onda de iniciativas ecológicas em toda a metrópole, como tornar as ruas mais ecológicas, a adaptação de edifícios e a realização de eventos neutros em termos de carbono.

A Espanha também teve um bom desempenho, com duas cidades - Madrid e Sevilha - a ocuparem o segundo e terceiro lugares. Ambas melhoraram a sua classificação em relação às posições que detinham no ano passado, provavelmente graças ao projeto NetZeroCities da UE, que visa ajudar as localidades urbanas a reduzir as emissões em 55% até 2030 e a atingir a neutralidade climática até 2050.

No que diz respeito ao desempenho nacional, a Europa assume um papel central, com os 17 países do continente a ocuparem os primeiros lugares. A Suécia, a Finlândia e a Áustria ocupam os três primeiros lugares, enquanto a Estónia, em quinto, é o país que mais subiu: cinco lugares desde o ano passado.

Portugal ocupa o 16º lugar

Portugal ascendeu ao 16º lugar, subindo um lugar em comparação a 2021 e seis lugares entre 2017 e 2022. Lisboa merece destaque no índice ao aparecer em nono lugar, embora tenha descido quatro posições em relação a 2021.

Uma entrada surpresa na lista é o Uruguai, que ficou no top 20 pela primeira vez, subindo 15 lugares desde 2021. Os seus homólogos sul-americanos Guatemala e México também fizeram progressos, tendo vindo a subir no índice desde 2017.

Canva
Sevilha é uma das cidades mais sustentáveis do mundoCanva

Os viajantes estão dispostos a pagar mais por viagens ecológicas

A mudança de mentalidade dos viajantes em direção a uma consciência ambiental nunca foi tão evidente.

De acordo com a edição de 2023 da Voice of the Consumer: Lifestyles Survey, 79% dos viajantes estão dispostos a pagar pelo menos 10% mais por viagens sustentáveis, apesar da crise do custo de vida. Estas características incluem atividades na natureza e ao ar livre, oportunidades de voluntariado, imersão nas artes e cultura locais e a escolha de viagens de carro ou comboio em vez de avião.

Dos que estão dispostos a gastar mais em características sustentáveis, 41% afirmam que pagariam mais 30% por atividades de aventura e ecoturismo.

Como foram classificados os destinos sustentáveis?

Caroline Bremner, diretora de viagens da Euromonitor International, explica como cada destino é avaliado para determinar a sua classificação.

"O nosso Índice de Viagens Sustentáveis utiliza 56 indicadores distribuídos por sete pilares - Ambiental, Social, Económico, Risco, Procura, Transporte e Alojamento - determinando o desempenho comparativo das viagens e turismo sustentáveis em 99 países através de pontuações e ponderações para produzir uma classificação geral.

"Existem três tipos principais de indicadores. A saúde de um destino relacionada com a felicidade, a igualdade e a justiça social, depois os impactos específicos do turismo no ambiente local, como o consumo de energia dos hotéis, seguido do estado geral do turismo, como a qualidade das infraestruturas ou a dependência da procura internacional.

"Olhando para o futuro, o Índice de Viagens Sustentáveis destaca a tecnologia verde e a digitalização da viagem do viajante como duas formas seguras de ajudar a alcançar o caminho para as "emissões líquidas zero". As parcerias com novas empresas emergentes no domínio da tecnologia verde podem ajudar a preparar o caminho para um futuro de viagens mais ecológico e mais limpo."

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Deve usar protetor solar amigo dos recifes nas férias? Eis como proteger a sua pele de forma responsável

Barcelona quer proibir a venda de lembranças "ofensivas"

Túnel subaquático vai ligar Dinamarca à Alemanha e substituir 45 minutos de ferry por sete minutos de comboio