EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

“O Sul tem algo a dizer": a herança musical de Atlanta

“O Sul tem algo a dizer": a herança musical de Atlanta
Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  Sarah Deaneuronews
Publicado a
Partilhe esta notícia
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O cantor e compositor da Irlanda do Norte Foy Vance explora os sons de Atlanta, Geórgia, EUA, da herança gospel à sua mais recente exportação musical: o trap.

PUBLICIDADE

Atlanta, Geórgia, é uma cidade famosa pelos seus restaurantes de renome mundial, pela vida noturna, pela cena hip-hop próspera e pelo seu papel proeminente no movimento dos direitos civis, nos Estados Unidos.

Foy Vance visitou Atlanta para conhecer a música, a comida e a cultura da cidade.

A sua primeira paragem foi na Igreja Big Bethel A.M.E, um sítio notável em Atlanta para espectáculos de música gospel.

"Cantamos desde a planta dos pés até ao abdómen. Aqui em Atlanta, esta música prospera. Podemos encontrar o gospel em qualquer género de música, country, R&B... A maioria dos artistas dos nossos artistas preferidos, começaram o seu percurso aqui na igreja”, considerou Nate Fisher, ministro da música da Igreja Big Bethel A.M.E.

Ao caminhar pelas ruas coloridas de Atlanta, sentimo-nos revigorados pela compreensão mais profunda da herança musical da cidade.

"O movimento dos direitos civis foi conduzido pela música. Martin Luther King fez muitas reuniões na cave desta igreja. Onde quer que vá em Atlanta, vai encontrar uma igreja com boa música”acrescentou Nate.

O Museu da Música Trap de Atlanta

O Museu da Música Trap é um dos destaques de Atlanta dedicado a uma das mais recentes exportações musicais da cidade.

O Trap Music Museum documenta "a arte, a cultura e a música do som trap", contou o diretor da instituição, CJ Williams.

"O termo 'trap music' foi cunhado pela primeira vez em disco por T.I. no álbum Trap Muzik, em 2003. A música trap é, obviamente, um subgénero do hip hop e basicamente conta a história das armadilhas: viver numa área onde devemos sobreviver."

De acordo com o responsável do museu, a música trap "conta a história das nossas experiências e de como a arte e a música são usadas para elevar não só o nosso estado de espírito, mas também a nossa vida". 

Clique no video para ver a reportagem completa.

Partilhe esta notícia

Notícias relacionadas

A música folk e a herança musical de Newport nos EUA

Símbolos e Cheesesteak: as atrações de Filadélfia

A energia de Detroit entre passado e futuro