Última hora

Última hora

Presidenciais antecipadas geram novo clima de incerteza na política grega

Em leitura:

Presidenciais antecipadas geram novo clima de incerteza na política grega

Presidenciais antecipadas geram novo clima de incerteza na política grega
Tamanho do texto Aa Aa

Novo período de incerteza política para a Grécia, depois do governo decidir avançar as eleições presidenciais no Parlamento.

O primeiro-ministro Antonis Samaras propôs a candidatura de Stavros Dimas. Mas o ex-comissário europeu precisa de 200 votos na primeira ou na segunda volta, previstas já para 17 e 23 de dezembro. Caso contrário, haverá uma terceira volta a 29 de dezembro, onde Dimas precisa de recolher o apoio de 180 deputados. Se falhar, a Grécia assistirá a legislativas antecipadas.

O analista político Dimitris Tsiodras diz que “na eventualidade de eleições gerais, Samaras dá assim a escolher entre votar nele e concluir os compromissos assumidos com os credores do país, ou no Syriza, que poderá entrar em conflito com a União Europeia”.

A esquerda radical é dada como favorita nas sondagens. No voto do orçamento de domingo, Samaras apenas conseguiu reunir 155 vozes, o que cria grande incerteza para a eleição de Dimas.

O correspondente da euronews, Stamatis Giannisis, diz que “a decisão do primeiro-ministro grego deixa a bola no campo dos deputados independentes e dos pequenos partidos, que se vêm face ao dilema de escolher entre a coligação pró-resgate, ou a possibilidade de perderem os assentos em eleições gerais que poderão conferir uma grande vitória ao Syriza”.