EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Serra Leoa lança ofensiva contra Ébola

Serra Leoa lança ofensiva contra Ébola
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Procurar doentes infetados com ébola porta a porta e limitar os movimentos internos dos cidadãos, a Serra Leoa anunciou estas duas medidas como parte

PUBLICIDADE

Procurar doentes infetados com ébola porta a porta e limitar os movimentos internos dos cidadãos, a Serra Leoa anunciou estas duas medidas como parte de um novo esforço para conter a epidemia.

O objetivo é conseguir um avanço significativo no combate à doença no espaço de quatro a seis semanas.

Funcionários de saúde vão procurar doentes e transferi-los para instalações médicas dedicadas.

O ritmo de novas infeções é muito elevado no país. A mensagem de natal deste ano do presidente da Serra Leoa é diferente.

“Sei que esta é uma época festiva onde os serra-leoneses celebram habitualmente de uma forma efusiva e alegre com a família, mas precisam de ser recordados que o nosso país está em guerra contra um inimigo muito violento”, declarou o presidente, Ernst Bai Korom.

Na segunda-feira as Nações Unidas apelaram a um perdão da dívida das nações mais afetadas, a Serra Leoa, a Libéria e a Guiné, depois de publicar um relatório que aponta para um desastre económico nesses países, consequência da epidemia que já infetou 18000 pessoas e matou 6900 desde março.

O ritmo de novas infeções é muito elevado no país. A mensagem de natal deste ano do presidente é diferente.

“Sei que esta é uma época festiva onde os serra-leoneses celebram habitualmente de uma forma efusiva e alegre com a família, mas precisam de ser recordados que o nosso país está em guerra contra um inimigo muito violento”, declarou o presidente, Ernst Bai Korom.

Na segunda-feira as Nações Unidas apelaram a um perdão da dívida da Serra Leoa, da Libéria e da Guiné depois de publicar um relatório que aponta para um desastre económico, consequência da epidemia que já contaminou 18000 pessoas e matou pelo menos 6900 pessoas desde março.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Uganda levanta parcialmente o confinamento

Pelo menos 92 mortos em explosão de camião cisterna

OMS pede desculpa por abusos na RD Congo