Última hora
This content is not available in your region

Syriza pode ganhar lesgislativas gregas, mas sem maioria

Syriza pode ganhar lesgislativas gregas, mas sem maioria
Tamanho do texto Aa Aa

Stamatis Giannisis, o correspondente da euronews, em Atenas, admite a possibilidade de o Syriza vencer as prórximas eleições legislativas. E reconhece que o falhanço, na eleição do Presidente da República, causou nervosismo nos mercados e nos credores.

euronews: O país está a caminho de eleições antecipadas, depois de o Parlamento não ter dado os votos necessários, para eleger o Presidente da República. Em duas palavras, o que nos trouxe até aqui?

Stamatis Giannisis: “Desde que o governo não conseguiu persuadir os 25 deputados independentes e aqueles das formações mais pequenas da direita e da esquerda para apoiar o deputado Dimas para a Presidência da República, as eleições gerais tornaram-se inevitáveis. Em qualquer caso, o governo e a oposição estavam preparados para tal desenvolvimento, porque o mandato do presidente cessante termina só daqui a dois meses.”

euronews: Nas medições de opinião recentes, o Syriza tem um crescimento, entre 2,5 e 6,5%, mesmo que a possibilidade de uma maioria absoluta não seja provável. Qual é a sensação nas ruas de Atenas? O que pretendem as pessoas destas eleições? Acreditam que o Syriza pode mudar as coisas?

Stamatis Giannisis: “A verdade é que, embora a maioria dos eleitores não queira eleições antecipadas, a vantagem que o partido de esquerda Syriza tem nas pesquisas recentes, sobre os conservadores da Nova Democracia, demonstra que a maioria dos gregos quer uma mudança política. Estão exaustos com a austeridade de quatro anos e estão a pedir condições mais suaves para as pessoas. Por outro lado, os conservadores que têm tido a capacidade de decisão, aparecem neste período pré eleitoral determinados a lutar por aquilo que têm defendido”

euronews: É certo que a eleição complica ainda mais as relações com os credores, a União Europeia e o FMI e traz de volta os cenários mais pessimistas. Os títulos da imprensa de hoje voltam a falar de uma ‘segunda-feira negra’. O mercado acionista perdeu mais de 11 por cento.

Stamatis Giannisis: “Perante um acontecimento político sério, como a convocatória de eleições antecipadas, os mercados de ações tendem sempre a ser sensíveis. Mais ainda, quando a situação política é altamente polarizada, com alguns membros do governo actual a afirmarem abertamente que, se o partido de esquerda Syriza ganhar as eleições, levará o país para fora da zona do Euro. O Syriza rejeita essas acusações, alegando que vai renegociar o acordo de empréstimo, na zona euro.”

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.