A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Japoneses chocados com execução de Kenji Goto pelo Estado Islâmico

Japoneses chocados com execução de Kenji Goto pelo Estado Islâmico
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os japoneses estão chocados com o anúncio da decapitação do jornalista Kenji Goto pelo grupo jihadista autodenominado Estado Islâmico. As autoridades nipónicas julgam “altamente provável” a autenticidade do vídeo que relata a execução.

Kenji Goto era um jornalista independente que centrava o seu trabalho nas histórias humanas das zonas de conflito e em particular no sofrimento das crianças.

A mãe do repórter afirma que Kenji “desejou, sempre, transformar o mundo num lugar sem guerras e salvar crianças da guerra e da pobreza”. Junko Ishido prometeu “manter viva a herança” do filho.

Kenji Goto partiu para a Síria em busca de Haruna Yukawa, o refém japonês capturado em agosto e executado na semana passada. O jornalista acabaria por ser igualmente sequestrado pelos insurgentes que se batem na Síria e no Iraque.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, denunciou um ato terrorista ignóbil e afirmou que o Japão vai assumir as suas responsabilidades, junto à comunidade internacional, na luta contra terrorismo.

Entretanto, na Jordânia, o executivo de Amã reiterou a vontade de aceder às exigências dos extremistas para conseguir a libertação do piloto capturado em dezembro.