Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Jordânia: Executada jihadista cuja libertação era exigida pelo Estado Islâmico, em troca de piloto jordano

Jordânia: Executada jihadista cuja libertação era exigida pelo Estado Islâmico, em troca de piloto jordano
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A jihadista iraquiana, Sayida al Rishawi, cuja libertação era exigida há dias pelo Estado islâmico, por troca de um piloto jordano, foi executada esta quarta-feira, juntamente com outros presos acusados de terrorismo.

Esta execução surge após o rei Abdullah II, da Jordânia, ter interrompido a visita aos Estados Unidos quando soube que o piloto jordano detido pelo autoproclamado Estado Islâmico tinha sido morto.

Numa alocução televisiva o monarca prestou homenagem ao piloto Maaz al-Kassasbeh e apelou à união de todos os jordanos.

“É dever de todos nós, filhos e filhas da nação, unirmo-nos e mostrar a determinação do povo jordano perante a adversidade desta crise”, disse o rei.

O piloto da força aérea jordana, Maaz al-Kassasbeh, foi detido em dezembro pelos extremistas da Síria, depois do F-16 em que seguia se ter despenhado, quando participava em ataques da coligação contra o Estado Islâmico.

Num vídeo divulgado terça-feira, os extremistas afirmam ter queimado vivo o piloto a 3 de janeiro, o que provocou a ira dos jordanos.