Ucrânia: Cessar-fogo periclitante

Ucrânia: Cessar-fogo periclitante
De  Fernando Peneda com Lusa/Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Com um cumprimento periclitante do cessar-fogo, o exército ucraniano e os rebeldes continuam a acusar-se mutuamente de violações dos acordos de

PUBLICIDADE

Com um cumprimento periclitante do cessar-fogo, o exército ucraniano e os rebeldes continuam a acusar-se mutuamente de violações dos acordos de Minsk, no âmbito dos quais deverá realizar-se este sábado uma troca de prisioneiros.

Ao mesmo, após o exército ter retirado de Debaltseve, um importante nó ferroviário entre Donetsk e Lugansk, a calmia parece ter regressado à cidade e os habitantes voltam a circular nas ruas, agora repletas de destroços.

“Há um mês que não nos lavámos e que vivemos ao frio. Temos fome, não há pão, não há nada. Por favor agradeçam ao Poroshenko pelo que ele nos fez”, disse uma mulher.

“Há um mês que nos empurraram para a cave, onde ficámos sem nada para comer, ao frio, sem água, aquecimento e luz.
Ao menos agora não há tiros, mas sofremos muito e tivemos muito medo”, lamentou-se uma idosa.

Nos arredores de Kiev, soldados que estiveram a combater os separatistas na frente de Debaltseve foram acolhidos em festa, no regresso a casa.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Mártires de "Maidan" homenageados em Kiev e com Moscovo no alvo

Kiev lembra "heróis" de Maidan

Ucrânia: OSCE acusa separatistas de impedirem acesso a Debaltseve