Última hora
This content is not available in your region

Kiev lembra "heróis" de Maidan

Kiev lembra "heróis" de Maidan
Tamanho do texto Aa Aa

Kiev recordou os 106 manifestantes que perderam a vida no culminar de três meses de protestos na emblemática praça Maidan, que se traduziram numa mudança de poder na Ucrânia.

O dia 20 de fevereiro de 2014 foi o mais sangrento da revolução, quando as forças da ordem carregaram sobre os contestatários acampados no centro da capital ucraniana. Dois dias mais tarde, caía o presidente pró-russo Viktor Ianukovitch, abrindo o caminho a um governo pró-europeu.

Durante a cerimónia desta sexta-feira, Petro Poroshenko afirmou que “o ano 2015 será decisivo para a implementação de mudanças fundamentais, para construir um novo país”. O chefe de Estado acrescentou que tem “a certeza de que a Ucrânia viverá em paz, desenvolvendo-se e avançando na direção da Europa”.

As comemorações prolongam-se em Kiev até domingo, aniversário da destituição de Ianukovitch, dia em que Poroshenko deverá receber na capital ucraniana vários líderes europeus.

Mas, um ano depois da revolução, a Ucrânia continua sem solução para o conflito no leste do país, com um novo cessar-fogo fragilizado por constantes violações, tendo como pano de fundo um braço-de-ferro geopolítico entre a Rússia e o Ocidente.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.