EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Singapura despede-se do "tigre" Lee Kuan Yew

Singapura despede-se do "tigre" Lee Kuan Yew
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Singapura despede-se do fundador da cidade estado e antigo primeiro-ministro Lee Kuan Yew. O político de 91 anos faleceu esta segunda-feira, um mês e

PUBLICIDADE

Singapura despede-se do fundador da cidade estado e antigo primeiro-ministro Lee Kuan Yew. O político de 91 anos faleceu esta segunda-feira, um mês e meio após ter sido internado com uma pneumonia aguda.

O pai do atual chefe de governo de Singapura, ocupou o mesmo cargo entre 1959 e 1990, dirigindo o processo de independência da antiga colónia britânica.

Um político criticado pela mão dura com que reprimiu a liberdade de expressão e os seus opositores políticos, mas saudado como o arquiteto da prosperidade económica do território.

Para o porta-voz da diplomacia chinesa, Hong Lei, “ Lee Kuan Yew era um estadista influente na Ásia e um estratega que conseguiu equilibrar os valores orientais com uma visão internacional. Foi o homem que promoveu relações estreitas entre a China e Singapura ao contribuir para desenvolver uma colaboração reforçada com Pequim”.

O funeral do estadista está agendado para dia 29 de março quando se sucedem as homenagens oficiais e as mensagens de condolências de líderes como Barack Obama ou do primeiro-ministro britânico David Cameron.

No território, milhares de pessoas preparam-se para prestar uma última homenagem ao homem que, ao longo de três décadas de poder transformou o território num “trigre económico”.

Uma habitante afirma, “Estou muito triste, em especial que Lee não tenha vivido o suficiente para festejar os 50 anos da independência no próximo dia 9 de agosto”.

O arquipélago de cinco milhões de habitantes, com uma área inferior à da cidade de Berlim, despede-se assim do homem que conseguiu colocar o território no mapa, como uma potência económica e turística incortornável do continente asiático.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Catalunha: em que consiste a lei da amnistia recentemente aprovada por Madrid?

Eleições legislativas de alto risco para o ANC na África do Sul

Comissão de Veneza pede revogação de lei polémica na Geórgia