Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Iémen: Ofensiva militar é uma "necessidade e continuará" garante Riade

Iémen: Ofensiva militar é uma "necessidade e continuará" garante Riade
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Arábia Saudita continuará os ataques contra as milícias houthis do Iémen até que o presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi possa voltar a gerir o país.

[Os houthis] continuaram a tomar o país e quando estavam quase a tomar a cidade de Aden e o presidente, tivemos de intervir - Adel al-Jubeir, embaixador saudita nos Estados Unidos

Os ataques aéreos desta noite visaram, sobretudo, o bairro diplomático, nos arredores de Sanaa, e continuaram durante a manhã.

Riade garante que a ofensiva, lançada quinta-feira, não visa provocar o Irão – aliado das milícias xiitas houthis, que tentam tomar Aden, cidade na qual o presidente se refugiara. Teerão condena veementemente a operação ao mesmo tempo que nega qualquer auxílio aos houthis.

O embaixador saudita nos Estados Unidos explica que “a ofensiva militar é uma necessidade”. Adel al-Jubeir acrescenta: “Não tínhamos alternativa. Tentámos evitá-la de todas as formas possíveis. Os iemenitas também fizeram tudo para evitá-la. Foram feitos vários acordos com os houthis e cada um dos exatamente 67 acordos foi renegado pelos houthis. Eles continuaram a tomar o país e quando estavam quase a tomar a cidade de Aden e o presidente, tivemos de intervir.”

Uma intervenção que conta com o apoio da Liga Árabe, reunida no Cairo, este fim de semana. Ao mesmo tempo que, no terreno, prosseguiam os confrontos terrestres entre as forças leais ao presidente Mansour Hadi e as milícias houthis. Foi o caso em Aden, por exemplo, onde um depósito de armamento foi incendiado.