Última hora

Tusk promete ajuda à Tunísia no combate ao terrorismo

Tusk promete ajuda à Tunísia no combate ao terrorismo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia vai ajudar a Tunísia a enfrentar o terrorismo, sobretudo depois do ataque a um museu da capital, a 18 de março, ter dado mais uma prova da expansão do extremismo islâmico do Médio Oriente para o Norte de África.

Em conjunto temos de ver como podemos lidar com as causas da instabilidade regional, mas também como podemos combater as consequências mais graves dessa instabilidade, nomeadamente o aumento do terrorismo e da migração ilegal.

De visita ao país, esta terça-feira, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, disse que “em conjunto temos de ver como podemos lidar com as causas da instabilidade regional, mas também como podemos combater as consequências mais graves dessa instabilidade, nomeadamente o aumento do terrorismo e da migração ilegal”.

No ataque ao Museu do Bardo morreram 20 turistas, o que pode ter um efeito devastador no setor, do qual a Tunísia é muito dependente.

Em 2014, seis milhões de estrangeiros – sobretudo europeus – visitaram o país, considerado um caso de sucesso na vaga de revoluções árabes desde 2011.

Apesar do ataque ter sido reivindicado pela grupo jihadista autodenominado Estado Islâmico, as autoridades tunisinas acreditam que foi perpretado por membros da organização Al-Qaida no Magrebe Islâmico.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.