EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Quénia reforça segurança na região fronteiriça

Quénia reforça segurança na região fronteiriça
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O Quénia reforçou a segurança na região fronteiriça com a Somália depois do ataque de quinta-feira à universidade de Garissa que fez centena e meia

PUBLICIDADE

O Quénia reforçou a segurança na região fronteiriça com a Somália depois do ataque de quinta-feira à universidade de Garissa que fez centena e meia de mortos. Os rebeldes somalis do Al-Shabaab, com ligações à Al-Qaida, estão na origem do atentado e prometem continuar o combate. Mandera, no norte do país, faz fronteira com a Somália e a Etiópia.

“Temos informações que Mandera está na lista dos alvos dos terroristas, durante o período da Páscoa, por isso aplicámos várias medidas para nos certificarmos que a nossa cidade está em segurança” – explica um militar.

Há relatos que dão conta da captura de cinco pessoas com ligações ao ataque de Garissa. Na cidade, os sobreviventes estão em estado de choque e contam os momentos de terror que viveram: “Ele pegou no telefone de uma estudante e disse à mãe dela – vou matar a tua filha, é a última vez que vais ouvir a voz dela. E vais ouvir-me matá-la – Em seguida ouvi um tiro.”

Além da centena e meia de mortos, quase todos estudantes, há perto de uma centena de feridos. Muitos em estado crítico. As autoridades temem que o balanço mortal vá aumentar. Este é o maior atentado no Quénia desde o ataque à embaixada americana em 1998 que fez duas centenas de mortos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Autoridades do Quénia lançam caça aos responsáveis pelo massacre da Universidade de Garissa

Quénia: assalto a universidade termina com 147 mortos

Pentágono anuncia a morte de um importante dirigente do al shabaab