Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Franceses contestam políticas de austeridade

Franceses contestam políticas de austeridade
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas manifestaram-se, esta quinta-feira, em França contra as políticas de austeridade do governo socialista.

De acordo com a CGT mais de 300 mil pessoas saíram à rua em várias cidades do país, a maioria em Paris. A policia garante que o número de manifestantes é inferior.

Na mira das críticas esteve a chamada Lei Macron que o chefe de governo aprovou por decreto para evitar ser chumbada.

“Os nossos direitos sociais estão a ser postos em causa com a Lei do Crescimento, da Atividade e da Igualdade de Oportunidades. Regressamos ao século XIX” refere o professor, Nicolas Mas.

Apresentada em dezembro, a chamada Lei Macron prevê a autorização de trabalho no comércio durante 12 domingos por ano e uma maior flexibilidade na reestruturação empresarial.

“O Estado está a dar cada vez menos dinheiro aos hospitais e aos serviços de saúde. É tempo de agir” afirma Frank Pascaud da Associação de Paralíticos em França.

As manifestações coincidiram com o segundo e último dia de greve dos controladores aéreos.

Os trabalhadores podem voltar à rua já no primeiro dia de maio.