EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Síria: Bashar Al-Assad acusa Turquia de sabotar esforços de paz da ONU

Síria: Bashar Al-Assad acusa Turquia de sabotar esforços de paz da ONU
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O presidente sírio mantém-se inflexível, quatro anos após o início do conflito no país. Entrevistado pela imprensa sueca , Bashar Al-Assad reconhece

PUBLICIDADE

O presidente sírio mantém-se inflexível, quatro anos após o início do conflito no país.

Entrevistado pela imprensa sueca , Bashar Al-Assad reconhece que o exército nacional está enfraquecido, acusando países como a Turquia, a Arábia Saudita e o Qatar de fomentarem a violência ao apoiarem os grupos rebeldes.

Semanas após a tomada de Idlib pela oposição, Assad acusa os três países de sabotarem os esforços do enviado da ONU para impôr um cessar-fogo e retomar o diálogo no território.

“Qualquer plano de paz para a Síria será sempre arruínado por este tipo de interferência externa. Foi isso que se passou em Aleppo, quando os turcos decidiram apoiar uma fação dos rebeldes que recusaram colaborar com o enviado da ONU. Penso que a ONU sabe que qualquer plano está condenado ao fracasso, sem sentar estes países à mesa, convencendo-os a deixar de apoiar os terroristas e a deixar os sírios resolverem o problema”.

Declarações rejeitadas por Ancara que negou, esta sexta-feira, qualquer apoio à ofensiva dos rebeldes em Idlib.

O enviado da ONU, Staffan de Mistura, deverá iniciar uma nova ronda diplomática no próximo mês para tentar relançar o diálogo, quando o conflito provocou já mais de 220 mil mortos.

Para Bashar o que está em causa é, uma vez mais, a luta contra o que considera ser uma “ameaça global” e não apenas um conflito nacional.

“A Europa não pode estar em segurança, enquanto o Mediterrâneo e o Norte de África permanecerem no caos, ameaçados por terroristas”.

Desde o avanço do grupo Estado Islâmico no país que Damasco tenta, sem sucesso, reatar as relações com os países ocidentais em torno do combate ao terrorismo, levado a cabo, para já, de forma unilateral, no terreno, pela coligação militar liderada pelos Estados Unidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Israel ataca unidade de defesa aérea no sul da Síria com mísseis

Embaixador iraniano na Síria promete retaliação após alegado ataque israelita destruir consulado

Ataque israelita destrói consulado iraniano em Damasco e mata alta patente militar