EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Alemanha: Deutsche Bahn na encruzilhada face a nona greve dos maquinistas

Alemanha: Deutsche Bahn na encruzilhada face a nona greve dos maquinistas
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Os maquinistas alemães prosseguem o braço de ferro com a direção da companhia Deutsche Bahn, no segundo dia da nona greve, em dez meses, a afetar a

PUBLICIDADE

Os maquinistas alemães prosseguem o braço de ferro com a direção da companhia Deutsche Bahn, no segundo dia da nona greve, em dez meses, a afetar a circulação ferroviária no país.

A paralisação dos comboios de mercadorias, iniciada ontem, foi alargada esta manhã aos comboios de passageiros, quando os sindicatos ameaçam prolongar o protesto por vários dias.

Em Colónia, um passageiro afirma, “foi a minha última viagem com a Deutsche Bahn. Não vou deixar que voltem a arruinar-me uma viagem. Duas vezes é demais”.

A greve ocorre dias depois de um novo fracasso das negociações com o sindicato dos maquinistas GDL, que exige aumentos salariais de 5% e uma redução do horário de trabalho.

Para o diretor da companhia ferroviária alemã, Ulrich Weber, “não podemos deixar que esta escalada desnecessária afete milhões de pessoas ao longo da Alemanha, especialmente durante o fim de semana de Pentecostes, um dos períodos com mais tráfego depois da Páscoa e do Natal”.

O governo alemão anunciou já a intenção de nomear um mediador para tentar solucionar o conflito, quando discute no parlamento uma nova lei para evitar que sindicatos minoritários possam paralizar toda uma empresa.

Para o líder do sindicato dos maquinistas GDL, Claus Weselsky, na base do protesto: “Cerca de 3.330 membros do nosso sindicato aderiram à greve o que significa que os trabalhadores sabem que estamos a defendê-los e estão determinados a prosseguir o protesto durante um longo período de tempo”.

Uma possibilidade que inquieta governo e empresários que calculam as perdas causadas pela greve em mais de 100 milhões de euros diários, cerca de 0.1% do PIB alemão do segundo semestre, caso o protesto se prolongue mais de dez dias.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia alemã mata homem que esfaqueou três pessoas numa festa do Euro 2024

Alemanha goleia Escócia no jogo inaugural do Euro 2024

Chegada da seleção portuguesa deixa centenas em euforia e até houve rancho folclórico