A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Síria acusa Estado Islâmico de executar 400 civis em Palmira

Síria acusa Estado Islâmico de executar 400 civis em Palmira
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Segundo a televisão estatal síria, os extremistas do Estado Islâmico executaram pelo menos 400 civis – na maioria mulheres e crianças – desde que capturaram a cidade histórica de Palmira, há quatro dias.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos disse que pelo menos trezentos soldados perderam a vida nos violentos confrontos que culminaram com a queda da cidade.

A televisão estatal síria informou ainda que a aviação de Bashar al-Assad matou trezentos insurgentes, numa operação que permitiu libertar dezenas de soldados que estavam cercados num hospital da província de Idlib.

Este domingo, os jihadistas reforçaram o controlo da fronteira entre a Síria e o Iraque, capturando o posto fronteiriço iraquiano de Al-Walid, 72 horas depois de tomarem de assalto o do lado sírio, em Al-Tanaf.

O secretário da Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter, acusou o Exército iraquiano de “não ter mostrado vontade para lutar” pela cidade de Ramadi, que caiu nas mãos do Estado Islâmico há uma semana. Nas últimas 24 horas, a aviação norte-americana bombardeou vários alvos jihadistas nos arredores da cidade.