EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Conselho de Segurança analisa escalada de violência na Ucrânia

Conselho de Segurança analisa escalada de violência na Ucrânia
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com EFE / AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Conselho de Segurança da ONU reúne-se esta sexta-feira para analisar a nova escalada da violência no Leste da Ucrânia. Os combates, que se

PUBLICIDADE

O Conselho de Segurança da ONU reúne-se esta sexta-feira para analisar a nova escalada da violência no Leste da Ucrânia.

Os combates, que se prolongam desde quarta-feira, nos arredores da aldeia de Mariinka, nas mãos do Exército, são os mais violentos desde que os separatistas pró-russos assumiram o controlo da localidade estratégica de Debaltseve, pouco depois da entrada em vigor do cessar-fogo, a 15 de fevereiro.

O porta-voz da missão da Organização para a Segurança e Cooperação na Europa diz que “é importante frisar que se estão a produzir combates intensos, violações claras do cessar-fogo que quebram os acordos de Minsk. E há também violações em termos de movimentos e uso de armamento pesado”.

União Europeia e Estados Unidos exprimiram a sua preocupação, enquanto a Rússia, que apoia os separatistas, disse que o processo de paz corre o risco de cair por terra.

O presidente ucraniano disse, por seu lado, que “a guerra não é a escolha [de Kiev]”, explicando que “não há uma alternativa […] aos acordos de Minsk, aprovados pelo Conselho de Segurança da ONU […] e mesmo pela Rússia”.

A correspondente da euronews, Maria Korenyuk, diz que “segundo Petro Poroshenko, a Ucrânia vai abrir um diálogo político com [a região de] Donbass imediatamente depois das eleições locais, previstas para 28 de outubro. Mas a reconstrução pós-guerra e a restauração dos laços económicos só acontecerá depois da Ucrânia recuperar totalmente o controlo das fronteiras externas”.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

A violência regressa ao leste da Ucrânia

Rússia declara correspondente da BBC de “agente estrangeiro”

EUA pedem apoio do Conselho de Segurança da ONU a novo plano de cessar-fogo em Gaza