Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Grécia: Gregos entre a revolta e a contrição

Grécia: Gregos entre a revolta e a contrição
Tamanho do texto Aa Aa

Este domingo de manhã o sentimento que se vivia no centro de Atenas era de calmia. Não apenas na capital helénica mas por todo o país, os gregos esperavam as decisões do Eurogrupo, que não chegaram a acontecer, e da cimeira de líderes europeus sobre o futuro do país.

Em expectativa mas, ao mesmo tempo, eles têm opiniões formadas sobre o que se está a passar…

“Em alguns pontos eles estão certos, é preciso dizer a verdade, nós dissemos que tomaríamos medidas, mas não o fizemos”, diz um grego.

Um ateniense afirma que recordaria aos parceiros europeus a história. “Em 1953, fizeram um corte na dívida da Alemanha, de cerca de 70 por cento ou 80 por cento, se bem me lembro. Era exatamente isso que lhes recordava.”

“Gostaria de dizer-lhes para olharem com calma os acontecimentos e a situação na Grécia, porque não vivemos, de facto bem, eles só querem o “nosso sangue”, desabafa uma mulher.

“As últimas sondagens sugerem que os gregos, na sua esmagadora maioria, são a favor da permanência do país na zona euro. Essa foi também a análise feita pelo Primeiro-ministro grego como resultado do referendo do último domingo. Os gregos reconhecem os erros do passado, mas pedem aos seus parceiros europeus outra oportunidade.”