"Sírio": A palavra mágica para os migrantes que desembarcam na Europa

"Sírio": A palavra mágica para os migrantes que desembarcam na Europa
De  Euronews com reuters, lusa, afp, efe, aptn
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Em Kos, quem tiver passaporte sírio tem direito a embarcar no "Eleftherios Venizelos", o ferry fretado pelo governo grego para abrigar e tratar dos papéis dos refugiados.

PUBLICIDADE

Cada dia, são em média 700 os migrantes que desembarcam na ilha grega de Kos após cerca de 4 horas a remar desde a costa da península de Bodrum, na Turquia.

Segundo a Organização Internacional para as Migrações, cerca de 250.000 pessoas já atravessaram o Mediterrâneo, este ano. Perto de metade desembarcou na Grécia.

Quarter million - the number of #migrants who reached Europe via sea so far this year. Already more than all of 2014 pic.twitter.com/fMPJzerhkc

— IOM Turkey (@IOM_Turkey) 17 agosto 2015

À chegada, esquecem por um momento as agruras que deixaram para trás e dão asas à alegria de pisar finalmente solo europeu.

Agora, quase todos dizem ser sírios, a fórmula para poderem receber o estatuto de refugiados e garantirem o desejado asilo na Europa.

Em Kos, quem tiver passaporte sírio tem direito a embarcar no “Eleftherios Venizelos”, o ferry fretado pelo governo grego para abrigar e tratar dos papéis dos refugiados.

Mahmoud diz aos jornalistas que é da Síria e que fugiu da guerra. Depois, expressa o desejo de “ir para a Europa, para a Alemanha” e agradece aos gregos pela receção.

“Sírio” tornou-se a palavra mágica entre os migrantes. Quem vem do Afeganistão, do Paquistão ou do Iraque terá mais dificuldades em conseguir asilo e as tensões já começaram a surgir entre estes seres humanos desesperados, que sonham com um futuro digno.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

MSF acusa Grécia de fazer expulsões abusivas de migrantes

Buscas continuam após trágico naufrágio

Polónia prolonga direito de residência a refugiados ucranianos