EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Rússia: "demónio" centenário vandalizado em São Petersburgo

Rússia: "demónio" centenário vandalizado em São Petersburgo
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com AP / Moscow Times / Libération
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A destruição de um baixo-relevo centenário do demónio Mefistófeles, num prédio de São Petersburgo, será o mais recente episódio de vandalismo com

PUBLICIDADE

A destruição de um baixo-relevo centenário do demónio Mefistófeles, num prédio de São Petersburgo, será o mais recente episódio de vandalismo com motivações religiosas na Rússia.

A obra estava localizada em frente a uma nova igreja ortodoxa, que está em construção.

Cerca de 500 pessoas juntaram-se este domingo para protestar contra a destruição do baixo-relevo e exigir que os responsáveis sejam identificados e julgados.

O ato tinha sido reivindicado por um homem que dizia pertencer ao grupo Cossacos de São Petersburgo, mas o líder dos cossacos ortodoxos da cidade desmentiu rapidamente a informação.

Uma manifestante diz que “há muitas igrejas e outros monumentos decorados com figuras de demónios, quimeras ou gárgulas e ninguém lhes toca. Por isso, se os que arrancaram o baixo-relevo o fizeram por motivações religiosas, isso é uma desgraça, um ato de vandalismo e merecem ser punidos, de acordo com a lei”.

Vários residentes indicaram que os responsáveis se fizeram passar por trabalhadores de construção para aceder ao local.

A meio de agosto, vários militantes ortodoxos do autodenominado movimento “Vontade de Deus” destruíram em Moscovo, a curta distância do Kremlin, várias esculturas de uma exposição dedicada à arte “não-conformista” da era soviética.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"

Nemo quebrou o código: Concorrente da Suíça é primeira pessoa não-binária a vencer a Eurovisão