Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Lesbos: com o inverno à porta, a população receia a sorte dos refugiados

Lesbos: com o inverno à porta, a população receia a sorte dos refugiados
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Com o inverno à porta, Lesbos continua a receber diariamente centenas de migrantes.

Na quinta-feira, chegaram à ilha grega 1200 pessoas, vindas da Turquia, e no mesmo dia os barcos fretados pelas autoridades gregas transportaram de Lesbos para a capital grega 1742 refugiados.

As ilhas mais próximas da Turquia – Lesbos, Quios, Samos, Leros e Kos, são as que registam o maior fluxo de refugiados.

Lesbos é um dos locais onde está prevista a instalação de um dos centros de registo de migrantes anunciados na cimeira extraordinária da União Europeia, de quarta-feira, mas o processo não parece ter sido iniciado.

A população da ilha improvisa um acolhimento de emergência, mas a temperatura começa a descer e a situação vai piorar.

“Não temos condições para acudir a esta multidão, pessoas de tantos países diferentes sem nada para comer nem beber, sem sítio para dormir. Por enquanto os dias estão quentes, mas vai vem aí a chuva e o frio, onde é que eles vão ficar?”, diz a gerente de um restaurante que tem dado apoio aos migrantes.

Os chamados “hotspot” vão funcionar em Itália e na Grécia, os dois países mais expostos à forte pressão migratória, com o objetivo de identificar e fazer a distinção entre refugiados e migrantes económicos.

O governo grego começou a fretar navios que diariamente transferem milhares de refugiados para Atenas, de onde a maioria segue viagem rumo ao centro e ao norte da Europa.

A Guarda Costeira grega informou na quinta-feira que durante o mês de agosto foram resgatados 107.843 refugiados. No quadro destas operações, foram detidas 53 pessoas por suspeita de envolvimento em redes de tráfico humano e apreendidas 271 embarcações.

Uma grande parte das pessoas que chegam à Grécia, vem da Síria e foge da guerra civil que atinge o país nos últimos quatro anos.

Durante o ano de 2014 a Guarda Costeira grega resgatou 30 mil pessoas.