EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

França e Japão querem reforçar parceria nuclear

França e Japão querem reforçar parceria nuclear
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O primeiro-ministro francês deslocou-se ao Japão, numa operação de charme, para tentar resgatar o grupo nuclear francês Areva dos números vermelhos

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro francês deslocou-se ao Japão, numa operação de charme, para tentar resgatar o grupo nuclear francês Areva dos números vermelhos.

Reunido com o seu homólogo, Shinzo Abe, o primeiro-ministro Manuel Valls anunciou a intenção de vender uma participação minoritária de uma subsidiária da empresa atómica ao grupo japonês Mitsubishi.

Uma oferta bem acolhida por Shinzo Abe,

“O Japão quer contribuir para a melhoria da segurança nuclear global ao partilhar experiências e lições com outros países sobre o que aconteceu durante o acidente nuclear de Fukushima”.

A possível parceria, negociada desde o início de setembro, ocorre num momento em que Abe tenta retomar a produção de energia nuclear, após o incidente de Fukushima e apesar dos protestos da população.

O plano de reestruturação da Areva, que registou perdas de 206 milhões de euros no primeiro semestre, prevê a venda de 51-75% da subsidiária Areva NP (construção de reatores) à elétrica francesa EDF.

O governo francês tenta agora vender uma parte minoritária da companhia a investidores asiáticos, quando se prepara para injetar mais dinheiro na empresa.

Em paralelo, o plano de reestruturação da Areva prevê igualmente a supressão de 6 mil postos de trabalho, mais de metade dos quais em França.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia francesa mata homem que tentava incendiar sinagoga em Rouen

Pelo menos dois guardas prisionais mortos em ataque a carrinha celular em França

França celebra o dia que marcou o fim da Segunda Guerra Mundial na Europa