A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Procuradoria espanhola pede 22 meses de prisão para Messi por fraude fiscal

Procuradoria espanhola pede 22 meses de prisão para Messi por fraude fiscal
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Procuradoria-Geral do Estado espanhol pede que Lionel Messi seja condenado a 22 meses e meio de prisão por fraude fiscal entre 2007 e 2009. As autoridades espanholas reconhecem que o futebolista do Barcelona é um “leigo” em matéria de impostos, mas afirmam que o argentino “não pode ignorar” que uma parte significativa das receitas de exploração dos direitos de imagem vinham de empresas sediadas em paraísos fiscais, como o Uruguai e o Belize.

Recorde-se que o ministério público pediu a absolvição de Messi, mas o juiz deu seguimento à acusação, porque o advogado do Estado continua a imputar o futebolista como co-autor de três crimes de fraude fiscal, num valor de 4,1 milhões de euros.

Lionel Messi e o pai são acusados de, em 2013, terem defraudado o fisco em valores relativos aos direitos de imagens do futebolista, entre 2007 e 2009, através da criação de empresas falsas no Belize e no Uruguai. A Procuradoria-Geral pede uma pena equivalente para o pai do futebolista, que é ao mesmo tempo representante de Messi.

Para já o juiz não aplicou nenhuma medida cautelar contra os dois acusados, porque ambos têm mostrado vontade de colaborar e já entregaram, voluntariamente, o valor da alegada fraude fiscal.