Turquia e Alemanha mais próximas mas com contrapartidas

Turquia e Alemanha mais próximas mas com contrapartidas
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Este domingo a chanceler alemã esteve em Istambul onde se reuniu com o Presidente Recep Tayyip Erdogan e com o Primeiro-ministro Ahmet Davutoglu

PUBLICIDADE

Este domingo a chanceler alemã esteve em Istambul onde se reuniu com o Presidente Recep Tayyip Erdogan e com o Primeiro-ministro Ahmet Davutoglu.

Destes encontros saiu uma promessa, o seu apoio para agilizar o processo de candidatura da Turquia à União Europeia, uma mudança de posição da chanceler alemã que se opunha, firmemente, à adesão do país à UE, mas não sem contrapartidas. Angela Merkel quer cooperação para conter o fluxo de migrantes e pretende que a Turquia receba, de volta os refugiados rejeitados pela Europa:

“Naturalmente que, em troca, temos algumas expectativas. Existe um acordo sobre migração entre a Turquia e a União Europeia, válido também para países terceiros, mas os acordos de liberalização de vistos e readmissão também devem entrar em vigor”, explicou Merkel em conferência de imprensa.

“Estamos preparados para lutar contra a imigração ilegal, contra os traficantes de seres humanos que exploram pessoas desesperadas. A Turquia está pronta para todo o tipo de cooperação nesta matéria”, adiantou o chefe do executivo turco.

Em relação ao sonho europeu, há quem acredite que alcançá-lo não é assim tão fácil, como explica o Professor universitário Enes Bayraklı:

“Não acredito que se vão dar grandes passos para aproximar a Turquia da Europa. A Europa ainda acredita que esta crise pode ser resolvida dando 5 ou 3 mil milhões de euros à Turquia.”

“Parece que a crise dos refugiados aproximou a Turquia e a Alemanha depois de anos de relações distantes. A curta visita de Merkel à Turquia preparou terreno para uma nova era de cooperação”, refere o enviado da euronews, Bora Bayraktar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Espanha vai acabar com os vistos gold para investidores imobiliários estrangeiros

Só em janeiro, Canárias receberam mais migrantes do que na primeira metade de 2023

Presidenciais eslovacas: vitória de Pellegrini reforça governo eurocético de Robert Fico