Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Agrava-se a espiral de violência na Cisjordânia

Agrava-se a espiral de violência na Cisjordânia
Tamanho do texto Aa Aa

Enquanto a comunidade internacional multiplica os apelos ao fim da violência entre palestinianos e israelitas, os confrontos e os ataques sucedem-se.

Esta terça-feira, a Cisjordânia esteve a ferro e fogo, mas também foi conformada a morte de um palestiniano, abatido a tiro pelas forças israelitas, perto da fronteira da Faixa de Gaza com Israel.

Segundo o exército israelita, em Beit Awa, próximo de Hebron, um jovem, de 23 anos, terá atacado e ferido ligeiramente um oficial israelita com uma arma branca antes de ter sido abatido.

Noutra situação, um palestiniano entregou-se à polícia local depois de ter atropelado um israelita que, alegadamente, estaria a agredir manifestantes. Foi o primeiro de dois atropelamentos registados durante o dia. No segundo, em Gush Etzion, o atacante foi morto pelas autoridades israelitas.

Em menos de um mês, a espiral de violência já matou oito israelitas e perto de 50 palestinianos, para além de um cidadão da Eritreia, que foi confundido com um agressor.

O exército israelita procedeu também, esta terça-feira, à demolição da casa de um militante palestiniano que matou um israelita no ano passado.

Ainda na Cisjordânia, em Betunia, uma operação das forças israelitas terminou com a detenção de um líder do Hamas. Hasan Yusef, de 60 anos, tinha saído pela última vez da prisão em junho do ano passado. Agora, o dirigente do movimento islamita regressou ao cárcere acusado por Israel de “incitação ao terrorismo”.