A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Kosovo, mais próximo da família europeia

Kosovo, mais próximo da família europeia
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Em nome de uma maior integração no seio do bloco comunitário, o primeiro-ministro do Kosovo assinou, esta terça-feira, no Parlamento Europeu, em Estrasburgo, um acordo “estabilização e associação” com a União Europeia.

Além de Isa Mustafa, também o ministro kosovar da Integração, Bekim Collaku, assinou o documento. O lado europeu esteve representado pelo comissário para o Alargamento, Johannes Hahn, e pela Alta Representante da União Europeia para a Política Externa e Segurança, Federica Mogherini.

Esta é geralmente a primeira etapa de um longo processo de adesão, que já foi percorrida por países dos Balcãs.

Muitos kosovares partem rumo a nações europeias. O primeiro-ministro, Isa Mustafa, diz que a situação está controlada: “Até janeiro deste ano houve um número significativo de kosovares que migraram para a União Europeia, em particular para a Alemanha, mas conseguimos deter este fluxo de migrantes e reintegrámos cerca de 20 mil. Comprometemo-nos também a reintegrar aqueles que quiserem voltar.”

A oposição kosovar já fez notar o desagrado com um acordo, mediado pela União Europeia, com a Sérvia, que atribui poderes adicionais à minoria sérvia no norte do Kosovo.

Recentemente, as ruas de Pristina foram palco de confrontos e na semana passada o parlamento kosovar teve de ser evacuado porque elementos da oposição lançaram gás lacrimogéneo. Querem que o Governo retroceda no acordo porque alegam que coloca em causa a identidade territorial do Kosovo.

O Kosovo depara-se com a rejeição de cinco Estados-membros, que não reconhecem a independência da Sérvia, autoproclamada em 2008.