EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Ex-conselheiros do Papa detidos por passar informações aos media

Ex-conselheiros do Papa detidos por passar informações aos media
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira com EFE, Reuters, AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais perfume de escândalo no Vaticano: Duas pessoas, incluindo um padre, conselheiros do Papa Francisco, foram detidas por passar informações confidenciais.

PUBLICIDADE

O perfume do escândalo paira, novamente, sobre a Santa Sé: As autoridades do Vaticano detiveram duas pessoas, acusadas de terem passado informações confidenciais à imprensa a respeito das finanças.

As duas figuras na mira das autoridades são o padre espanhol Ángel Vallejo Balda, membro da Opus Dei, e uma leiga italiana, perita em relações públicas, Francesca Chaouqui. Ambos faziam parte de uma comissão criada pelo Papa Francisco para o aconselhar quanto à reforma burocrática e financeira da Cúria Romana.

As detenções acontecem apenas a dois dias da publicação de dois livros que prometem revelar novos escândalos financeiros.

Um desses livros é da autoria de Gianluigi Nuzzi, o autor de Sua Santidade o livro que desencadeou o escândalo que ficou conhecido como Vatileaks e terá influenciado a renúncia de Bento XVI.

Essas revelações tinham por base as informações passadas plo mordomo do ex-papa, Paolo Gabriele.

As duas pessoas agora detidas terão também passado informações e Nuzzi e a outro jornalista italiano, Emiliano Fittipaldi, que publica igualmente um livro esta quarta-feira.

“Publishing books with confidential documents does not help the Pope’s mission” - Vatican Insider https://t.co/XOJuafbNaM

— Andrea Tornielli (@Tornielli) November 2, 2015

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vários detidos na Geórgia em protestos contra prisão de blogger

Três alemães detidos por suspeitas de espiarem para a China

Lei dos "agentes estrangeiros" causa tumulto na Geórgia