Bruxelas já não está em alerta máximo de terrorismo

Bruxelas já não está em alerta máximo de terrorismo
De  Euronews com reuters, afp, lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As autoridades decidiram, esta quinta-feira, reduzir o nível de ameaça de "4" para "3", o mesmo que está em vigor no resto do território belga.

PUBLICIDADE

A região de Bruxelas já não está em alerta máximo de terrorismo e o pó branco suspeito, encontrado numa encomenda enviada para a Grande Mesquita da capital belga, era afinal farinha.

As autoridades decidiram, esta quinta-feira, reduzir o nível de ameaça de “4” para “3”, o mesmo que está em vigor no resto do território belga. Bruxelas estava em alerta máximo de terrorismo desde o fim de semana.

Entretanto, prosseguem as operações para capturar Mohamed Abrini, que dois dias antes dos atentados de Paris foi visto a conduzir um automóvel utilizado pelos terroristas, e Salah Abdeslam, irmão de um dos bombistas suicida, que as autoridades suspeitam ter feito parte do grupo que atacou em Paris.

Os irmãos Abdeslam bem como Abrini ou ainda o alegado mentor dos ataques, Abdelhamid Abaaoud, entretanto abatido numa rusga em Saint-Denis fazem parte de uma lista com 80 nomes de pessoas alegadamente radicalizadas, que foi entregue, em junho, à presidente da Câmara de Molenbeek. A autarca explicou que, para não se cair numa situação “arbitrária”, é às forças federais que compete levar a cabo buscas e detenções e garantiu que a lista foi enviada às autoridades competentes.

As buscas e detenções das últimas duas semanas na Bélgica já levaram as autoridades a acusar cinco pessoas de terrorismo por ligações aos atentados de Paris.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

NATO investe mais de mil milhões de euros em munições de artilharia

"Estado da União": Diplomacia dominou cimeira e fórum de cooperação

Detido novo suspeito do atentado em Bruxelas