EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Alemanha inicia missão de apoio na luta contra o EI

Alemanha inicia missão de apoio na luta contra o EI
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters, efe, afp, lusa
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Já estão na Turquia os primeiros aviões e militares alemães que vão dar apoio à luta contra o autoproclamado Estado Islâmico.

PUBLICIDADE

Já estão na Turquia, à disposição da coligação internacional que combate o grupo radical Estado Islâmico (EI), os primeiros aviões militares de reconhecimento e um contingente de soldados alemães, que irão apoiar as operações na Síria.

Dois aviões Tornado e um A400M de transporte, com 40 militares a bordo, partiram esta quinta-feira da base de Jagel, na Alemanha. Um avião de reabastecimento A310 MRT partiu da base militar de Wahn, em Colónia com destino à base de Incirlik, na Turquia.

A Alemanha, que não vai participar nos bombardeamentos, também colocou à disposição da coligação internacional a fragata “Augsburg”, que dará proteção ao porta-aviões francês Charles de Gaulle, que opera a partir do Mediterrâneo Oriental.

O Conselho Central de Muçulmanos na Alemanha (ZMD) lamentou a aprovação pelo Parlamento da participação alemã nas operações militares contra os jihadistas, considerando que, tal como no passado, a “guerra contra o terror apenas reforça o terror”.

Na passada sexta-feira, o Bundestag (Parlamento) autorizou por larga maioria (445 votos a favor, 145 contra e 7 abstenções) o envio de um contingente que pode chegar aos 1200 militares e de seis aviões Tornado para apoiar a luta contra a barbárie do autoproclamado Estado Islâmico. Os aviões participarão apenas em missões de reconhecimento. O custo estimado do envolvimento alemão é de 134 milhões de euros e tem para já a duração de um ano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Bundeswehr: Longe da linha da frente

Parlamento alemão debate violência no país e condena ataque contra Robert Fico

Como relançar o motor franco-alemão?