Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Nurofen fazia publicidade enganosa

Nurofen fazia publicidade enganosa
Tamanho do texto Aa Aa

A farmacêutica britânica Reckitt Benckiser está em maus lençóis na Austrália, onde a justiça a obrigou a retirar das farmácias várias variedades do analgésico Nurofen.

Havia tipos diferentes de Nurofen: Para as costas, para a cabeça e para as dores menstruais. Mas a composição dos produtos era sempre a mesma: 342 miligramas de ibuprofeno.

A Reckitt estava a vender o que supostamente eram diferentes versões do produto, para tipos diferentes de dores, quando na verdade o medicamento vendido era exatamente o mesmo.

“Os consumidores ficam muito preocupados ao saber que uma empresa alega algo que não é verdade. Há empresas que fazem um nome e isso implica ficar a dever confiança aos consumidores, por isso naturalmente este caso é preocupante”, diz Rod Sims, presidente da Autoridade Australiana para a Concorrência.

O Nurofen tem como princípio ativo o ibuprofeno, um dos analgésicos mais populares. Neste caso, havia tipos diferentes de Nurofen: Para as costas, para a cabeça e para as dores menstruais. Mas a composição dos produtos era sempre a mesma: 342 miligramas de ibuprofeno. A única diferença estava mesmo na embalagem.