A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

China: Presidente Xi Jinping defende política de censura da internet

China: Presidente Xi Jinping defende política de censura da internet
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente chinês defendeu a soberania de cada país na internet na abertura da Conferência Mundial sobre a rede, que reúne duas mil pessoas em Wuzhen, no leste da China, até sexta-feira.

Xi Jinping pediu um esforço comum no combate ao cibercrime e ao terrorismo, considera essencial um padrão comum de salvaguarda de segurança, mas defendeu a política chinesa de censura: “Devemos respeitar os direitos de cada um a escolher a via de desenvolvimento e os modelos de gestão da internet. Devemos opor-nos à hegemonia cibernética, não devemos interferir nos assuntos internos, não devemos participar ou apoiar atividades cibernéticas que ameaçam a segurança nacional dos outros”.

Com quase 700 milhões de utilizadores, a China registou um forte desenvolvimento de empresas tecnológicas, mas tem uma rigorosa política de controlo da internet. Pequim bloqueia ou censura páginas e conteúdos internacionais que o regime considera um perigo à “estabilidade social”.

Os críticos da política de censura pedem às empresas tecnológicas estrangeiras que não cedem às exigências de Pequim.

Em sinal de protesto, a organização Repórteres sem Fronteiras apelou ao boicote da cimeira em Wuzhen.