EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Sudeste da Turquia entra em 2016 debaixo de fogo

Sudeste da Turquia entra em 2016 debaixo de fogo
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters, EFE
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

É debaixo de fogo que muitas cidades do sudeste da Turquia, de maioria curda, vão entrar em 2016. De acordo com a Associação dos Direitos do Homem do

PUBLICIDADE

É debaixo de fogo que muitas cidades do sudeste da Turquia, de maioria curda, vão entrar em 2016.

De acordo com a Associação dos Direitos do Homem do país a operação militar de Ancara contra os militantes do Partido dos Trabalhadores do Curdistão provocou nas últimas duas semanas cerca de 40 mortos nas cidades de Cizre e Silopi.

O HDP, Partido Democrático do Povo, pró-curdo, garante que o número de vítimas mortais é superior e que muitas são civis.

A ofensiva de Ancara contra as forças curdas, este verão, deitou por terra a já frágil trégua entre o PKK e o Governo turco. A população fala de uma situação insustentável.

“O negócio vai mal. Abrimos as lojas para dar resposta às necessidades da população e pomos a nossa vida em risco. Gostava de saber durante quanto tempo isto vai durar” afirma o comerciante Abdullah Deger.

“Não temos eletricidade, nem água. As pessoas não estão bem e as crianças são as mais afetadas porque não podem ir à escola. A comunidade encontra-se numa situação miserável” refere o comerciante Ramazn Simsek.

Os curdos insistem na criação de um Estado independente, o governo turco no desarmamento do PKK que combate os radicais do Estado islâmico.

O fim da trégua de dois anos ameaça reacender uma guerra civil que provocou cerca de 40 mil mortos, ao longo das últimas três décadas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Youtuber Diamond Tema deixa a Turquia após ameaças de prisão

Líderes dos rivais regionais Grécia e Turquia reúnem-se para estreitar relações

Responsáveis da discoteca que ardeu em Istambul detidos para interrogatório