Última hora
This content is not available in your region

Síria: Conversações de paz arrancam só com os enviados de Assad

euronews_icons_loading
Síria: Conversações de paz arrancam só com os enviados de Assad
Tamanho do texto Aa Aa

A paz na Síria continua a ser uma miragem. A diplomacia sofreu mais um revés esta sexta-feira. As conversações agendadas para o Palácio das Nações, em Genebra, arrancaram durante a tarde mas apenas com os representantes do regime de Bashar al-Assad e alguns opositores políticos embora sem verdadeira expressão no terreno. É o caso do antigo ministro Qadri Jamil que sublinhou que a ONU implementou a resolução do Conselho de Segurança ao convidar todas as partes envolvidas no conflito.

O principal grupo da oposição, que reúne várias fações apoiadas pela Arábia Saudita e se autointitula Alto Comité das Negociações, não se deslocou a Genebra porque espera sinais de boa vontade no terreno, como um cessar-fogo humanitário. Entre os ausentes estão também os curdos que, apesar de controlarem o norte da Síria, não foram convidados devido à oposição da Turquia, embora a Rússia desejasse a sua presença.

O braço-de-ferro entre Moscovo e Ancara ficou bem patente nas palavras de Recep Tayyip Erdogan, esta sexta-feira. O presidente turco denunciou os bombardeamentos russos como uma das principais razões que levou os principais membros da oposição a boicotarem esta ronda negocial. Apesar da confusão instalada, o mediador da ONU, o italiano Staffan de Mistura, arrancou com os trabalhos na esperança de alcançar um acordo que ponha fim a um conflito de cinco anos que fez mais de 250 mil mortos e milhões de refugiados.