Crise de refugiados: Noite de "pesadelo" na fronteira entre a Grécia e a Macedónia

Crise de refugiados: Noite de "pesadelo" na fronteira entre a Grécia e a Macedónia
Direitos de autor 
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma noite de “pesadelo” foi o que milhares de migrantes e refugiados passaram de segunda para terça-feira, na fronteira entre a Grécia e a Macedónia

PUBLICIDADE

Uma noite de “pesadelo” foi o que milhares de migrantes e refugiados passaram de segunda para terça-feira, na fronteira entre a Grécia e a Macedónia. Mais de 7000 pessoas estão bloqueadas entre os dois países devido ao reforço de controlo sobre quem pretende cruzar a fronteira para norte.

Around 7,000 are now stranded in #Idomeni. For latest updates: hagacaroline</a> +30 694 985 1330. <a href="https://twitter.com/hashtag/ProtectHumanity?src=hash">#ProtectHumanity</a> <a href="https://t.co/EK5wPV4WV3">pic.twitter.com/EK5wPV4WV3</a></p>&mdash; IFRC (Federation) 1 de março de 2016

(Cerca de 7000 pessoas estão encalhadas em Idomeni.)

A muita chuva, o frio e o nevoeiro tornaram a pernoita muito difícil para os migrantes. “Foi um pesadelo. Acordámos numa piscina. Fomos forçados a deslocar a nossa tenda para outro sítio porque baixo já corria água. Foi uma noite muito difícil”, contou Yusuf, um migrante oriundo de Damasco, capital da Síria.

UPDATE: To make a miserable day even worse it's raining in #Idomeni and this is the queue for raincoats. pic.twitter.com/kduxdj43ib

— MSF Sea (@MSF_Sea) 29 de fevereiro de 2016

(Para tornar um dia miserável ainda pior, está a chover em Idomeni e esta e a fila para os impermeáveis.)

Após as restrições impostas na semana passada pela Áustria, Croácia e Eslovénia, três países da União Europeia (UE), bem como pela Macedónia e Sérvia, que limitaram o número de entradas em ambos os países, a Grécia advertiu que o atual número de refugiados no seu território— atualmente em cerca de 22.000 — poderá subir rapidamente para 70.000.

O Presidente da Macedónia garantiu, numa entrevista â revista alemã Der Spiegel, que a designada “rota dos Balcãs” utilizada pelos migrantes e refugiados será “encerrada” assim que a Áustria atingir o limite de entradas no país que fixou nos 37.500 para este ano, depois de já ter limitado a entrada no país a 80 requerentes de asilo por dia. “É necessa´rio uma decisão política agora. Para breve, já será demasiado tarde”, avisou Gjorge Ivanov.

Na segunda-feira, a polícia macedónia chegou a disparar gás lacrimogéneo contra um grupo de cerca de 300 sírios e iraquianos. O grupo tentou forçar a barreira de rede e arame que agora separa a Grécia da Macedónia, no posto fronteiriço de Idomeni.

#Teargas used on crowd at #Greece-#Macedonia border where 7,000 asylum-seekers stranded. https://t.co/0yfs382Pqtpic.twitter.com/z05f1ywuhz

— AmnestyInternational (@amnesty) 29 de fevereiro de 2016

(Gás lacrimogéneo usado contra a multidão na fronteira entre a Grécia e a Macedónia onde estão encalhados 7000 requerentes de asilo.)

One policeman and nine migrants were injured during the incidents at the border… https://t.co/bskH5LboQ7#Macedoniapic.twitter.com/8mCZLr24i4

— META.mk News Agency (@meta_mk_en) 29 de fevereiro de 2016

(Um polícia e 9 migrantes ficaram feridos durante os incidentes na fronteira…)

Macedónia continua a processar requerimentos de asilo

O Ministério do Interior Macedónia comunicou, entretanto, que desde 1 de janeiro deste ano e o final de fevereiro já controlou 87.840 cidadãos estrangeiros. O Departamento de gestão de pedidos de asilo, do ministério liderado por Oliver Spasovski, reconheceu 29 (22 sírios e 7 afegãos) pedidos legítimos de asilo. Só nesta última segunda-feira terão sido requeridos 4 reconhecimentos de pedidos de asilo por cidadãos sírios.

Spasovski expects a wise decision from the EU regarding the refugee crisis https://t.co/EWcaCpbiA4#Macedoniapic.twitter.com/8N8CWxFcLz

— META.mk News Agency (@meta_mk_en) 26 de fevereiro de 2016

(Ministro do Interior Oliver Spasovski espera uma decisão sensata da União Europeia face à crise de refugiados.)

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Grécia: Porto de Pireu continua a receber milhares de refugiados

Itália acolhe 93 sírios na primeira viagem do "corredor aéreo humanitário"

Balcãs obrigam Grécia a reter milhares de migrantes