Talibãs reivindicam atentado junto de um tribunal no Paquistão

Talibãs reivindicam atentado junto de um tribunal no Paquistão
De  Marco Lemos com reuters, afp
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Perto de 20 mortos e cerca de 30 feridos o balanço de um atentado suicida junto a um tribunal no noroeste do Paquistão.

PUBLICIDADE

Perto de 20 mortos e cerca de 30 feridos o balanço de um atentado suicida junto a um tribunal no noroeste do Paquistão.

Segundo a polícia, um bombista suicida tentou forçar a entrada no tribunal de Shabqadar, cerca de 150 km a nordeste da capital, Islamabad, acabando por detonar o colete de explosivos à porta do local.

Uma fação dos talibãs paquistaneses, a Jamaat-ur-Ahrar, reivindicou o ataque, afirmando ter sido a vingança pela morte de Mumtaz Qadri, um antigo guarda-costas, visto por alguns como um herói depois de ter assassinado um governador liberal, favorável a uma reforma da controversa lei da blasfémia, que pode ser punida com a morte.

Pakistani militants say blast at court in Shabqadar that kills 10 was revenge https://t.co/KpGvPCDFI3

— Reuters India (@ReutersIndia) March 7, 2016

Julgado e condenado em 2011, Qadri foi executado por enforcamento na semana passada.

O primeiro-ministro do Paquistão, Nawaz Sharif, já condenou o ataque:

PM #NawazSharif condemns blast at #Shabqadar, #Charsadda.
For more, visit: https://t.co/Y6m5pKiLy6pic.twitter.com/RL37aIpMPo

— SAMAA TV (@SAMAATV) March 7, 2016

Os militantes talibãs no Paquistão conduzem uma insurreição contra o Estado desde 2007, com o objetivo de impor uma interpretação restrita da lei islâmica no país.

Hay 11 muertos y 12 heridos por el ataque suicida perpetrado por talibanes en la ciudad de Shabqadar, en Pakistán pic.twitter.com/cCSFGSRNqV

— FOROtv (@Foro_TV) March 7, 2016

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O mundo celebrou a Páscoa

Ataque com mísseis do Paquistão contra o Irão levanta preocupações

Regresso forçado de milhares de afegãos satura fronteira com o Paquistão