Paquistão: Nawaz Sharif declara guerra ao terrorismo

Paquistão: Nawaz Sharif declara guerra ao terrorismo
De  Lurdes Duro Pereira com REUTERS, EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Pelo menos 50 pessoas foram detidas no Paquistão suspeitas de estarem envolvidas no atentado, em Lahore, contra a comunidade cristã. O ataque

PUBLICIDADE

Pelo menos 50 pessoas foram detidas no Paquistão suspeitas de estarem envolvidas no atentado, em Lahore, contra a comunidade cristã.

O ataque reivindicado pelos talibãs provocou 72 mortos e mais de 300 feridos.

Numa mensagem transmitida pela televisão nacional, o chefe de Governo, Nawaz Sharif, comprometeu-se a por fim ao terrorismo:

“Estou aqui para reiterar a nossa determinação na luta contra o terrorismo até que seja eliminado da nossa sociedade. Nos últimos três anos, o governo e as agências de segurança reduziram as atividades terroristas. Vamos continuar nesse caminho apesar dos últimos ataques.”

Desde dezembro de 2014 já foram mortas mais de 500 pessoas em ataques terroristas no país. O mais recente foi perpetrado por um paquistanês de 28 anos, natural da província de Punjab.

No Paquistão, os cristãos representam cerca de dois por cento da população composta por 200 milhões de habitantes, maioritariamente muçulmanos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Atentado de Lahore: o que há por trás da violência?

Atentado suicida provoca mais de 70 mortos no Paquistão

Atentado suicida contra cristãos provoca 69 mortos e 300 feridos no Paquistão