EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Soldado israelita que terá executado palestiniano foi presente a tribunal militar

Soldado israelita que terá executado palestiniano foi presente a tribunal militar
Direitos de autor 
De  Francisco Marques com maan, haaretz
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dezenas de israelitas manifestaram-se esta terça-feira junto ao tribunal militar de Kastina, em apoio ao soldado filmado na semana passada a executar

PUBLICIDADE

Dezenas de israelitas manifestaram-se esta terça-feira junto ao tribunal militar de Kastina, em apoio ao soldado filmado na semana passada a executar a tiro, em Hebron, na Cisjordânia, um palestiniano que estava já neutralizado no chão. A vítima já estaria ferida depois de ter alegadamente com um cúmplice, também morto no local, atacado outros soldados.

O soldado que disparou o tiro fatal a sangue frio foi presente a um juiz e a acusação solicitou o prolongamento da prisão preventiva por mais nove dias, mas o juiz decretou que o réu permanecesse detido apenas até quinta-feira.

IDF prosecutor: There was no military need for Hebron shooter to kill… https://t.co/ndtWKjxQ7u#IsraelNewspic.twitter.com/eWahzAknWW

— The Jerusalem Post (@Jerusalem_Post) 29 de março de 2016

(Procurador das IDF: Não havia necessidade militar para o atirador de Hebron matar o palestiniano.)

Logo no dia do incidente, o primeiro-ministro israelita condenou a ação do soldado e defendeu que aquela conduta não representava os valores das Forças de Defesa de Israel, as IDF. Este domingo, porém, Benjamin Netanyahu foi mais comedido na condenação do soldado e preferiu delegar conclusões à investigação em curso

[WATCH] Israeli thug executes Palestinian lying injured on ground in Hebron
He's injured &still got shot in the head pic.twitter.com/vmkynhMEAS

— Mohamed A. (@Resist4Pal) 25 de março de 2016

A Organização para a Libertação da Palestina (OLP) apelou, entretanto, na segunda-feira, às Nações Unidas para que seja aberta uma investigação a alegadas execuções extrajudiciais de palestinianos que terão sido cometidas nos últimos meses por elementos das IDF.

PLO alleges 207 cases of Israeli extrajudicial killings of Palestinians since September https://t.co/w7tnzNFUCcpic.twitter.com/l40NqlqC2v

— Ma'an News Agency (@MaanNewsAgency) 29 de março de 2016

(OLP alega 207 casos de execuções extrajudiciais israelitas sobre palestinianos desde setembro.)

Desde o escalar da violência, em outubro, já terão morrido na região cerca de 30 judeus vitimas de ataques à faca e cerca de 190 palestinianos, dois terços destes alegadamente após terem tentado ou concretizado ataques diretos contra israelitas.

Most Israelis side with #IDF soldier who shot Palestinian although soldier was not acting in self-defense BenCaspit</a><a href="https://t.co/xjrggOBpOn">https://t.co/xjrggOBpOn</a></p>&mdash; Al-Monitor (AlMonitor) 29 de março de 2016

(Muitos israelitas estão do lado do soldado que baleou o palestiniano apesar de o soldado não ter atuado em legítima defesa.)

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"

Nemo quebrou o código: Concorrente da Suíça é primeira pessoa não-binária a vencer a Eurovisão